Lideranças são-joseenses do PMDB e PT falam da coligação nacional

Blog Single
O peemedebista Nedson Karam considera cedo para avaliar o cenário regional. O petista Edenilson Silva destacou afinidade entre os partidos

Nesta semana, o jantar do presidente Lula com lideranças do PMDB como o deputado federal Michel Temer gerou a definição de uma coligação nacional com o PT. Em entrevista para o PautaSJP.com, lideranças locais dos partidos destacaram que ainda é cedo para pensar nas coligações regionais, mas que existem afinidades entre as siglas.

Para o presidente do PMDB, Nedson Karam, o partido somente terá uma posição quanto a coligação nacional quando acontecerem as convenções estaduais e municipais, em junho e julho de 2010. “Até este momento qualquer posicionamento é prematuro. O PMDB não faz parte da atual administração municipal. Para o governo do Estado o partido deve ter o atual vice-governador como candidato, portanto, vamos aguardar”, comentou o presidente, que concorreu a vice na chapa do ex-prefeito Leopoldo Meyer, na eleição de 2008, na coligação PSDB/PMDB.

O presidente do PT, Edenilson Silva (o Zico), disse que os partidos possuem afinidades, e considera válido as siglas terem uma coligação nacional. “O PMDB faz parte da base aliada do governo Lula há oito anos, e é normal que os peemedebistas estejam com o PT para uma continuidade na gestão com a candidata Dilma Rousseff”, falou Zico.

Sobre as eleições para governador, senador e deputados, Zico ressaltou que o partido deve apoiar Osmar Dias do PDT para o governo, e qualquer conversa sobre o cenário regional com o PMDB começa agora, após as definições nacionais. “Teremos hoje, dia 22 de novembro, a eleição da nova diretoria do partido, que acontecerá na Câmara Municipal, e o novo grupo é que definirá a posição do partido para as eleições municipais do ano que vem”, disse Zico.

[PautaSJP.com]

Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: