Inverno também é época de rafting


Antes das descidas instruções são passadas didaticamente pelos orientadores para evitar lesões neste esporte radical

Blog Single
Antes das descidas instruções são passadas didaticamente pelos orientadores para evitar lesões neste esporte radical

O rafting é um dos esportes de ação em grupo, praticado na água, dos mais conhecidos do Brasil. Existem descidas individuais e em dupla, com os chamados ducks, tipos de caiaque, mas a maioria das imagens do esporte é associada aos barcos com cinco a dez remadores em média. Apesar do conceito de esporte radical, pessoas iniciantes, a partir de 12 anos, podem descer as corredeiras, mas apenas trechos que se enquadrem na chamada classe I. As outras classificações de perigo vão de II a IV (pessoas de grande experiência).
Originário nos Estados Unidos, nas corredeiras dos Rios Mississipi e Colorado, no Brasil, pela exuberância de rios, existem muitos locais que propiciam o esporte. A modalidade além do passeio entre amigos é utilizada para promover dinâmicas empresariais, pois as remadas em equipe são essenciais para o bote não virar.
A partir de São José dos Pinhais existem empresas credenciadas para organizar passeios de rafting em Antonina, e em Santa Catarina. O litoral paranaense é a base de operação da Calango Expedições. Por meio da empresa o esporte é praticado no Rio Cachoeira na cidade de Antonina. São 3 km de descida num tempo em torno de 1h30.
A Ativa Rafting e Aventuras opera em um trecho maior, no Rio Itajaí-Açú. A sede da empresa é em Apiúna, cidade próxima a Blumenau, a cerca de 250km de São José dos Pinhais, com descidas que podem demorar até três horas, dependendo do local onde se inicia a atividade. A Ativa Rafting também possui operações em outras regiões catarinenses como Santo Amaro da Imperatriz e Doutor Pedrinho, e na Bahia, na Costa do Dendê, Costa dos Coqueiros e Taboquinhas. Em Apiúna os valores de cada usuário são R$ 50,00, mais o custo do seguro pessoal, sem contar o aluguel da roupa de borracha.

Rafting classe I
No inverno, a falta de calor, que exige o uso de roupas de neoprene, também proporciona maior acúmulo de água e melhores quedas para os botes infláveis. Segundo instrutores da Ativa Rafting de Apiúna, as descidas classificadas como nível I são fáceis de serem executadas, pois os botes dificilmente viram, porém, virar o bote e aprender a ser resgatado com a corda, e subir novamente, faz parte do ensaio geral antes da descida.
O equipamento de segurança obrigatório é fornecido pela empresa, sendo capacete, colete e remo. No período de informações teóricas, uma das principais ênfases dos instrutores, é nunca largar o remo, pois na execução da manobra chamada piso, onde os praticantes saem da borda do barco e sentam no fundo, para aumentar o equilíbrio na hora da descida, é possível que o remo atinja o rosto e cause fraturas no parceiro. O corpo se equilibra principalmente com um dos pés enfiado numa sapata que fica no chão do bote.
Após o alongamento do corpo é feito a distribuição dos praticantes no barco, levando-se em conta o peso e a possibilidade de força, pois uma das regras é só parar de remar quando o instrutor mandar, porque as remadas são o “motor” do bote.
Quanto a saber nadar, não é o principal critério mas ajuda. Quando se cai na água a orientação é ficar com as pernas esticadas para os pés não se enroscarem nas pedras e tentar pegar a corda arremessada pelo instrutor a partir do barco ou pela equipe de resgate. “Em mais de 10 anos houve apenas uma morte, e da forma conhecida em qualquer rafting do mundo, onde os pés se encaixam nas pedras, o corpo avança para a frente, mas ainda preso pelos pés, e a força da água impede que haja espaço para a respiração”, falou um dos orientadores, que ressaltou o cuidado do trabalho em parceria com outros barcos e ducks, “os botes sempre andam com uma certa proximidade, e antes de cada descida, passa pelo local um remador com o duck, para conferir o grau de dificuldade. Outro remador desce para ficar na pedra com a corda de resgate, e ainda um último remador vem com o duck após o último bote atravessar, portanto são três pessoas em diferentes posições para um possível resgate dos remadores”, explicou o instrutor.

Serviço:
A Ativa Rafting e Aventuras - www.ativarafting.com.br
Calango Expedições - www.calangoexpedicoes.com.br
Vídeos de rafting grau IV – Na Zâmbia, África, estão as corredeiras consideradas o verdadeiro inferno para os profissionais de rafting. No Youtube existem vários vídeos de competições e provas de aventura - http://www.youtube.com/watch?v=gYVW5joVwIU&feature=related

[PautaSJP.com]

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: