Inverno também é época de rafting

Blog Single
Antes das descidas instruções são passadas didaticamente pelos orientadores para evitar lesões neste esporte radical

O rafting é um dos esportes de ação em grupo, praticado na água, dos mais conhecidos do Brasil. Existem descidas individuais e em dupla, com os chamados ducks, tipos de caiaque, mas a maioria das imagens do esporte é associada aos barcos com cinco a dez remadores em média. Apesar do conceito de esporte radical, pessoas iniciantes, a partir de 12 anos, podem descer as corredeiras, mas apenas trechos que se enquadrem na chamada classe I. As outras classificações de perigo vão de II a IV (pessoas de grande experiência).
Originário nos Estados Unidos, nas corredeiras dos Rios Mississipi e Colorado, no Brasil, pela exuberância de rios, existem muitos locais que propiciam o esporte. A modalidade além do passeio entre amigos é utilizada para promover dinâmicas empresariais, pois as remadas em equipe são essenciais para o bote não virar.
A partir de São José dos Pinhais existem empresas credenciadas para organizar passeios de rafting em Antonina, e em Santa Catarina. O litoral paranaense é a base de operação da Calango Expedições. Por meio da empresa o esporte é praticado no Rio Cachoeira na cidade de Antonina. São 3 km de descida num tempo em torno de 1h30.
A Ativa Rafting e Aventuras opera em um trecho maior, no Rio Itajaí-Açú. A sede da empresa é em Apiúna, cidade próxima a Blumenau, a cerca de 250km de São José dos Pinhais, com descidas que podem demorar até três horas, dependendo do local onde se inicia a atividade. A Ativa Rafting também possui operações em outras regiões catarinenses como Santo Amaro da Imperatriz e Doutor Pedrinho, e na Bahia, na Costa do Dendê, Costa dos Coqueiros e Taboquinhas. Em Apiúna os valores de cada usuário são R$ 50,00, mais o custo do seguro pessoal, sem contar o aluguel da roupa de borracha.

Rafting classe I
No inverno, a falta de calor, que exige o uso de roupas de neoprene, também proporciona maior acúmulo de água e melhores quedas para os botes infláveis. Segundo instrutores da Ativa Rafting de Apiúna, as descidas classificadas como nível I são fáceis de serem executadas, pois os botes dificilmente viram, porém, virar o bote e aprender a ser resgatado com a corda, e subir novamente, faz parte do ensaio geral antes da descida.
O equipamento de segurança obrigatório é fornecido pela empresa, sendo capacete, colete e remo. No período de informações teóricas, uma das principais ênfases dos instrutores, é nunca largar o remo, pois na execução da manobra chamada piso, onde os praticantes saem da borda do barco e sentam no fundo, para aumentar o equilíbrio na hora da descida, é possível que o remo atinja o rosto e cause fraturas no parceiro. O corpo se equilibra principalmente com um dos pés enfiado numa sapata que fica no chão do bote.
Após o alongamento do corpo é feito a distribuição dos praticantes no barco, levando-se em conta o peso e a possibilidade de força, pois uma das regras é só parar de remar quando o instrutor mandar, porque as remadas são o “motor” do bote.
Quanto a saber nadar, não é o principal critério mas ajuda. Quando se cai na água a orientação é ficar com as pernas esticadas para os pés não se enroscarem nas pedras e tentar pegar a corda arremessada pelo instrutor a partir do barco ou pela equipe de resgate. “Em mais de 10 anos houve apenas uma morte, e da forma conhecida em qualquer rafting do mundo, onde os pés se encaixam nas pedras, o corpo avança para a frente, mas ainda preso pelos pés, e a força da água impede que haja espaço para a respiração”, falou um dos orientadores, que ressaltou o cuidado do trabalho em parceria com outros barcos e ducks, “os botes sempre andam com uma certa proximidade, e antes de cada descida, passa pelo local um remador com o duck, para conferir o grau de dificuldade. Outro remador desce para ficar na pedra com a corda de resgate, e ainda um último remador vem com o duck após o último bote atravessar, portanto são três pessoas em diferentes posições para um possível resgate dos remadores”, explicou o instrutor.

Serviço:
A Ativa Rafting e Aventuras - www.ativarafting.com.br
Calango Expedições - www.calangoexpedicoes.com.br
Vídeos de rafting grau IV – Na Zâmbia, África, estão as corredeiras consideradas o verdadeiro inferno para os profissionais de rafting. No Youtube existem vários vídeos de competições e provas de aventura - http://www.youtube.com/watch?v=gYVW5joVwIU&feature=related

[PautaSJP.com]

Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: