Reportagem encontra venda de jogos piratas em shopping

Blog Single
Desde o funcionamento da Guarda Municipal a partir de 2006, as ruas centrais de São José dos Pinhais tiveram uma grande redução na venda de produtos piratas. No caso de pontos comerciais, segundo a Prefeitura, o governo municipal somente age quando é convocado a fazer parte de ações de fiscalização comandadas pela Polícia Federal e Receita Federal. Nos chamados shoppings populares é comum a venda de jogos de computador piratas. Esta ilegalidade não é freqüente em um shopping de grande porte, mas existem exceções.

Na loja Mundo Games, instalada no piso L1 do Shopping São José, os jogos piratas ficam em exposição dentro de uma caixa de madeira, em cima de um balcão, com preços que variam de R$ 30 a R$ 40. A diferença de mostruário é clara, pois os jogos legalizados fazem parte das vitrines.

De acordo com a diretoria do Shopping São José, por meio de nota, ‘o empreendimento não compactua ou concorda com práticas irregulares, ou em desconformidade com quaisquer normas legais, prevendo claramente em suas normas gerais e regimento interno, a obrigação a todos os lojistas de manterem regulares suas atividades, sob pena de aplicação de multas e inclusive rescisão do contrato de locação’.

A nota informa ainda, que a administração tem por hábito colaborar com as autoridades em quaisquer ações de fiscalização ou que visem reprimir a prática de irregularidades na venda ou prestação de serviços.

O PautaSJP.com procurou os responsáveis pela loja. A proprietária retornou a ligação e se negou a prestar esclarecimento sobre a venda de jogos piratas no Shopping São José. A proprietária sugeriu que a reportagem visitasse demais lojas no Piso L1 que teriam jogos piratas. Na última sexta (14), à noite, não foram constatadas outras vendas ilegais naquele andar.

Um lojista, que comercializa somente jogos originais, preferiu não se identificar, mas fez questão de criticar. “Cada comerciante tem a sua forma de trabalho, e se ele deixar de pagar impostos é uma posição que eu não concordo e que prejudica os demais lojistas do shopping, por ser uma concorrência desleal. Isso não acontece apenas no nosso ramo, pois é possível encontrar celulares piratas em outros estabelecimentos do shopping. Nas lojas de rua é algo comum, mas dentro de um shopping é vergonhoso”, reclama o comerciante.

Entre os clientes que compram jogos na Mundo Games, está um garoto de 12 anos, que confessa ter 20 títulos piratas em casa. A mãe dele, Rosana Tallmann, moradora no bairro Aristocrata, se queixa dos preços. “Eu não entendo por que estes produtos são tão caros. A gente compra jogos que não são piratas, que custam cerca de R$ 100, mas meu filho deixa de lado e em pouco tempo quer outros”, comenta Rosana Tallmann.

[PautaSJP.com]

Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: