EcoTelhado: uma opção para todas as estações

Blog Single
As conhecidas mudanças de clima entre o Norte e o Sul do Brasil diferenciam cotidiano, vestuário, alimentação e até a Arquitetura das cidades. O conceito de sustentabilidade, porém, faz com que um novo olhar seja incluído nos atuais projetos de Arquitetura mundial, fazendo com que alguns possam ser adaptados aos mais variados espaços e climas. É o caso do EcoTelhado, um dos destaques do Solarium Sustentável, apresentado na Casa Cor Paraná 2010.

Projetado pelos arquitetos Tobias Bonk Machado e Tetê Gomes, o Solarium Sustentável é um espaço onde 100% do material utilizado segue normas rígidas de controle ambiental. “Todos os materiais foram pensados em seu processo sustentável”, conta Tobias. “Desde a argamassa, o piso, a tinta, a madeira, os móveis, a iluminação, a decoração. Tudo foi adaptado para um cotidiano ‘verde’, de reaproveitamento e respeito com o meio ambiente.”

Entre os destaques sustentáveis apresentados pelo Solarium está o EcoTelhado ou Telhado Verde. Basicamente composto por mudas de plantas, divididas em módulos – aplicados sobre prático sistema de drenagem e impermeabilização, o EcoTelhado pode ser implantado em casas, apartamentos, empresas, hotéis, bares e restaurantes. “Ele possui a função de um isolante térmico, pois reduz a troca de calor entre os ambientes externo e interno, resultando em um espaço com clima sempre agradável, independente da estação do ano ou da localização da cidade, urbana ou rural”, explica Tobias. “Temos projetos, por exemplo, que incluem o Telhado Verde em construções do Paraná e também da Amazônia”, ressalta, lembrando que mesmo em ambientes externos, como é o caso do Solarium, o Teto Jardim funciona bem. “A redução na troca de calor é mais evidente quando aplicado em ambientes fechados, contudo, trouxemos o conceito do EcoTelhado para mostrar como esta tecnologia funciona.”

“Apresentamos resoluções projetuais em que pensamos desde a posição solar, sombreamentos, ventos, até situações para minimizar a ‘ilha de calor’. Também utilizamos materiais regionais e corretos, sob o ponto de vista ecológico, com baixos índices de COV (Composto Orgânico Volátil)”, completa a arquiteta Tetê Gomes.

Ela lembra que, além de todo material utilizado ser escolhido pelo ‘conceito verde’, sendo de fácil utilização e desmonte, todo o resíduo resultante da exposição será reciclado. “Todo tecido utilizado é 100% algodão”, diz. A reciclagem também está presente nos cestos de coleta seletiva do lixo (feitos de jornal), nos vasos das plantas decorativas (produzidos com embalagens de papel de suco e/ou leite), no piso (composto por sobras de granito e mármore) e até na decoração (com iluminação de Led (Diodo Emissor de Luz) e chapas de aço e ferro reaproveitadas).


Sustentabilidade em cada detalhe
O Solarium Sustentável prova que é possível projetar com responsabilidade ambiental, econômica e social, aplicando o tripé da sustentabilidade. “Queremos estimular os empresários, arquitetos e todos os cidadãos a projetar e construir de forma ambientalmente correta, pensando de forma responsável desde o primeiro traço daquilo que se imagina”, frisa Tetê.
Conheça alguns dos detalhes que transformam este Solarium em um ambiente ecologicamente correto:

*EcoTelhado – pode ser adaptado a qualquer ambiente, cidade ou clima. Para isso, são substituídas as espécies de plantas que formam o telhado, adaptadas ao clima da região. Em Curitiba, foram usadas mudas de aspargos.

*Materiais – na aquisição da matéria prima e da manufatura foram buscadas empresas locais. Todos os materiais são passíveis de reaproveitamento, com fácil desmonte.

*Tinta a base de terra – com cores que variam entre o preto e o branco, esta tinta especial é menos agressiva ao meio ambiente e aos profissionais. Ela permite uma melhor “respiração” das paredes, evitando que elas mofem ou desbotem.

*Madeira – toda de origem legal, resultante do reflorestamento ou reaproveitamento.

*Móveis – todos produzidos com madeira de demolição.

*Piso – composto de sobras ou pedaços de granito e mármore.

*Horta suspensa – criada com plantas ou temperos, que têm a irrigação feita por gotejamento – a qual utiliza garrafas pet; é também um elemento da decoração.

*Decoração – produzida com o reaproveitamento de chapas de ferro e aço, caixas de papelão e jornais (resultado do trabalho de pessoas em situação de exclusão social - Oficina de Artes Boracea - SP). Cachepôs (vasos) feitos de madeira de demolição receberam árvores frutíferas, inclusive produzindo.

*Iluminação – utiliza a tecnologia denominada Led (Diodo Emissor de Luz), um elemento com ótima eficiência, durabilidade e economia; também utilizado nas velas que decoram o Solarium.

*Resíduos – todo o resíduo resultante da exposição seguirá para reciclagem.

*Mirante de Contemplação – um espaço dedicado para contemplar a natureza que cerca a Casa Cor Paraná 2010. O intuito é proporcionar uma reflexão aos visitantes, que talvez não vejam paisagens como essa no futuro.

*Comunicação Visual – presente em todo o ambiente; expõe e traduz itens de sustentabilidade aplicados no projeto.

[PautaSJP.com - jornalista Mauren Lucrecia]

Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: