Servidores de SJP entraram no segundo dia de greve

Blog Single
[Atualização às 16h17]

A Gestão Ivan Rodrigues teve ontem (05) a segunda grande paralisação da administração desde janeiro de 2009. Centenas de servidores, principalmente da Educação, que querem o fim das terceirizações da Prefeitura, fizeram greve. O movimento, encabeçado pelo Sindicato dos Funcionários Públicos de São José dos Pinhais (Sinsep), pede imediata revisão no Plano de Cargos Carreiras e Vencimentos (PCCV) e no Estatuto do Servidor Público. Hoje (06), os funcionários públicos municipais continuam parados, esperando que uma comissão seja recebida pelo prefeito. A Prefeitura soltou na imprensa mais um posicionamento, que desta vez considera ilegal a iniciativa dos servidores (ver link abaixo).

Por meio do comunicado de ontem (05), a Prefeitura considera que o lançamento do movimento, que ocorreu dia 1º do mês, representa o caráter eleitoreiro da iniciativa. Quanto ao PCCV, uma das maiores reivindicações, a Prefeitura afirma que terminou o recadastramento dia 30 de setembro, com regularização de 85% dos servidores, e vai começar as alterações.

O presidente do Sinsep, Nelson Castanho, ataca as terceirizações, como o aluguel da frota de veículos da Prefeitura, e, segundo ele, a morosidade na revisão do PCCV. “Não foi iniciado o processo de revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos, conforme acordado com o prefeito Ivan Rodrigues, que não quer diálogo com os servidores”, fala Nelson Castanho.

Entre os grevistas, estava Rita de Cássia Alves, diretora da Escola Ezaltina Meiga, no bairro Jardim Fabíola. “Soubemos que a Prefeitura vai contratar um grande grupo educacional para colocar o material didático, e isso é feito sem consultar os professores. Nós temos o Conselho Municipal da Educação e o material pedagógico poderia ser feito pelos professores. Para que gastar um dinheirão com uma empresa de fora?”, protesta Rita Alves.


Câmara Municipal
Parte dos grevistas foi na sessão da Câmara Municipal às 9h. Entre os comentários dos vereadores sobre a manifestação, opiniões contra e a favor da Prefeitura.

Os vereadores Sylvio Monteiro (DEM) e Imar Augusto (PSB) criticaram a Secretaria Municipal de Educação. “Eu fui secretário de Educação na última gestão e fico preocupado em ver o descaso da atual administração com os professores. Eu estou do lado de vocês, e não do lado deste papel”, apontou Imar Augusto, referindo-se a projeto da Prefeitura de implantação de novo sistema de informatização na Educação.

O vereador Walber Mulbak comentou que na administração anterior as duas entidades dos servidores, Sinsep e Associação dos Funcionários (AFPM) eram coniventes com tudo o que a Prefeitura queria, e que agora, o interesse em melhorar o serviço público aparece. “Eu sou diretor de escola e conheço bem este trabalho. Um dos motivos de protesto é a implantação de informatização nas escolas, por meio de uma empresa, e isso ocorreu na rede estadual”, falou Walber Mulbak.

[PautaSJP.com]

Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: