Paralisação de servidores entra no terceiro dia 07-Oct-10

Segundo Sinsep greve abrange todos os setores da prefeitura


Os servidores públicos de São José dos Pinhais definiram em Assembléia da Categoria manter a paralisação para a quinta-feira. A decisão ocorre após a negativa da prefeitura e do representante da prefeitura, Miguel Gawloski, de receber uma comissão formada por servidores e por representantes do Sinsep. Esta comissão, formada no começo da tarde do dia 6/10, tentou conversar com o secretário, mas não foi recebida. O secretário preferiu dizer a Banda B que “não há o que negociar com os servidores”. A notícia da Banda B foi atualizada às 15h32min de seis de outubro de 2010.

Com a paralisação, as aulas da rede de ensino municipal e CMEI continuam suspensas. Portanto fica marcada para as oito horas da manhã a concentração na praça 8 de janeiro.


Indiferença com os servidores
Os servidores reclamam da falta de diálogo e desrespeito da prefeitura com seus funcionários e com os cidadãos. Eles ficaram a tarde inteira embaixo de sol forte, escondidos em suas sombrinhas ou embaixo de árvores, enquanto aguardavam a posição da prefeitura.


Legalidade ou arbitrariedade?
A prefeitura de São José dos Pinhais, que alega dialogar com os servidores e com os cidadãos São Joseenses, ao invés de receber uma comissão para fazer a revisão do Plano de Cargo, Carreira e Vencimentos, prefere intimar e citar o sindicato para vedar a livre manifestação dos servidores. Com este mandado, a prefeitura não permite com que os servidores sigam mobilizados no que eles chamaram de “piquete”.

Avisamos aos servidores e a população que não nos surpreende nem a intimação, muito menos a agilidade do judiciário para conceder o pedido. O Sinsep informa que acatará a decisão judicial, que não proíbe o Direito de Greve, contudo, determina que não se bloqueie a entrada da prefeitura e órgãos públicos, bem como as vias públicas. Orientamos os servidores para não fechar avenidas e ruas, mantendo-se, preferencialmente, concentrando na Praça 8 de Janeiro e sem obstruir a locomoção popular. Isso não significa que a mobilização terminou, pois a Greve não foi impedida pela Justiça. Enquanto isso, o jurídico do Sinsep vai entrar com Agravo de Instrumento tentando revogar o Mandado.


Mobilização e Estágio Probatório
A mobilização de servidores é legítima e permitida pela Constituição Federal, em seu artigo 9º: “É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender”.

O que não pode acontecer são ameaças aos servidores. Como uma denúncia anônima encaminhada ao sindicato. Essa denúncia afirma que há pessoas dizendo que quem está em estágio probatório não pode participar de greve, inclusive obrigando a assinar documento. Não é verdade. A avaliação não pode entrar no mérito de greve. Se isso ocorrer, é coação.

Assessoria de Imprensa Sinsep