Mulheres roncam mais 25-Oct-10

Uma em cada cinco pessoas com mais de 40 anos que buscam tratamento para o distúrbio é mulher


Cerca de um terço das pessoas acima dos 50 anos roncam e, cada vez mais, a estatística aponta as mulheres como pacientes dos consultórios especializados. Se antes elas reclamavam dos ruídos emitidos por eles durante a noite, agora as mulheres sentem na pele as conseqüências do distúrbio. No público feminino, a principal causa do ronco está associada à perda ou diminuição dos hormônios – vinculados à menopausa ou gravidez. Porém, os fatores tradicionais, como idade, sobrepeso, sedentarismo, álcool, fumo, problemas respiratórios e estrutura facial colaboram para o aparecimento da doença.

Atuando na área da odontologia do sono, a ortodontista Renata Feres alerta que muitas mulheres não buscam ajuda pelo constrangimento social, apesar dos tratamentos serem acessíveis. “O aspecto emocional é mais acentuado, pois elas se sentem muito mal por roncarem, diferente dos homens. As que buscam o tratamento são motivadas pelas reclamações que recebem da família. Além disso, algumas características são mais fortes nas mulheres, como a depressão e as alterações do humor, o que motivam a procura por ajuda”, explica Feres. Somado a esses sintomas é freqüente aos pacientes de ronco e apneia o cansaço diurno, a dor de cabeça e a insônia.


Tratamento
Apesar de ainda ser visto como um problema social, a apneia está associada a doenças mais sérias. Diversos estudos publicados recentemente comprovam a relação entre pacientes com distúrbios do sono e uma menor expectativa de vida. Isto porque a apneia favorece a hipertensão, a arritmia cardíaca, diabetes e outros problemas de saúde. “Pessoas com dificuldade para respirar durante o sono sofrem um processo de degeneração de sua qualidade de vida, independente da idade”, afirma Feres.

Os tratamentos para o ronco e a apnéia podem ser feitos de três maneiras: pelo uso do Cpap (aparelho que bombeia ar), por meio de cirurgias ou com uso de aparelhos intra orais, variando conforme a severidade do caso e a adaptação do paciente. Solução mais procurada pelos pacientes, o aparelho intra oral é um dispositivo móvel utilizado apenas para dormir, que tem por objetivo avançar a mandíbula e facilitar a passagem do ar.

Especialista neste procedimento, Feres destaca que o sucesso do tratamento também está relacionado à higiene do sono. “É uma opção não invasiva que apresenta bons resultados, porém deve ser acompanhado com mudanças no estilo de vida e a incorporação de hábitos corretos próximo à hora de dormir”, explica a ortodontista que concluiu recentemente o curso em Odontologia do Sono pela Associação Maringaense de Odontologia (AMO).


O que é ronco e apneia
O ronco é quando a pessoa respira ruidosamente durante o sono ou ressona com ruído. Ocorre devido à flacidez dos tecidos na região da garganta ou à diminuição do espaço por onde o ar passa. A Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono significa “parar” de respirar por algum tempo. A pausa pode levar segundos e acontece várias vezes durante o sono. A síndrome impossibilita a passagem do ar, que gera um comando cerebral para o corpo acordar e ativar os músculos da garganta, reiniciando a respiração.

Informações para a imprensa:
Básica Assessoria de Imprensa
Contatos: (41) 3019-9092 / 3023-7385
Jornalista responsável: Adriana Mugnaini – adriana@basicacomunicacoes.com.br
www.basicacomunicacoes.com.br