Willmutt faz show pela primeira vez em SJP 13-Dec-10

Pesadelo das atendentes de telefonia abre série de gravações da Moro Vídeo em parceria com PautaSJP.com

Cleiton Geovani Kurtz é cultuado em todo o Brasil por pessoas que tiveram problemas com telefone e outros serviços

A Moro Vídeo Produções Digitais e o PautaSJP.com iniciam parceria em série de gravações sobre pessoas e fatos interessantes que ocorrem em São José dos Pinhais. Por meio de vídeo e matéria escrita os internautas conhecem reportagens exclusivas. A abertura deste novo serviço de comunicação é com o comediante Willmutt, que colocou a cidade paranaense de Marechal Cândido Rondon no mapa do mundo.

Cleiton Geovani Kurtz é o criador do maior pesadelo das atendentes de telefonia. Ele se apresentou em São José dos Pinhais no começo de novembro, durante evento da Associação Comercial, o SJP Exportador 2010. Antes do show, que ocorreu no Buffet Imperial, o personagem falou da família de origem alemã, sobre a primeira apresentação em terras são-joseenses e mandou muitos abraços, incluindo aos cooperados da Companhia de Laticínios Clac. A grafia das palavras na entrevista não tem a ver com a Língua Portuguesa, e sim com o “dicionário Willmutt”.



Entrevista PautaSJP.com/Moro Vídeo - Como é seu nome completo?
Willmutt - Eu sou o Willmutt das Dores dos Prazeres, sobrenome que vem das Dores da minha mãe e dos Prazeres do meu pai. Venho de Marechal Cândido Rondon, localizado no Litoral da região, na Linha Baixada. Sou da quinta geração dos agricultores alemães, que fala em casa alemão e na cidade se confunde. Na minha família tem o meu filho, o Nêne; a Mãe, que é mãe do Nêne e minha esposa; o Vôvo, que é o Vôvo do Nêne; e o Peludo, que é o piá do vizinho.

PautaSJP.com/Moro Vídeo - Além dos trotes em empresas de telefonia e shows nas cidades, o que mais o Willmutt faz da vida?
Willmutt - A gente véve com o leite da vaca da Mãe. Às vezes vendemos uns porquinhos, e galinhas que eram os pintinhos do Nêne. A gente tava pensando em vender pra fora porquinhos da índia e cabritos. O que também queremos exportar é o futebol do Nêne. Ele tem um grande bicudóm que pode ser aproveitado até pelos times paranaenses como o Coritiba, Atlético e o Paraná Clube, e ser um sucesso internacionalmente.

PautaSJP.com/Moro Vídeo - Como surgiu o personagem Willmutt?
Willmutt - De uma brincadeira do meu pai e da minha mãe em 1975 e nove meses depois surgiu o Willmutt. As pessoas começaram a conhecer o Willmutt em 2003, quando uns rapaiz usaram uma câmera de filmação de uma ligação do Willmutt lá em casa que ele fez para a operadora Tilm. Depois eles levaram as gravações para uma igreja, para fazer a conversão. Daí eles mudaram para emepetrês, foram lá em casa e fizeram uma proposta de colocar a filmação na internete, dentro do Iogurte. O Nêne pulou na frente da xeladeira e disse: “pai, nos meus iogurtes ninguém mete a mão!”.

PautaSJP.com/Moro Vídeo - Além do Orkut, você também está em outras mídias digitais, não é mesmo?
Willmutt - Depois, em 2005, começou o primeiro sítio do Willmutt, onde já entraram mais de 2 milhões e 500 mil internautas. Aí, fomos para o Facebuque e Iozutube. Surgiu uma grande comunidade no Iogurte, e no Iozutube foram mais de 12 milhões de pessoas que já passaram lá.

PautaSJP.com/Moro Vídeo - Você anda com um grande celular, é para passar os famosos trotes para as telefonistas?
Willmutt - Tenho um dos mais modernos do mundo. Só a antena que perdemos em uma pescaria no Pantanal, quando arrebentou e o peixe levou a antena. Eu faço trote como coisa séria. Me divirto e dou risada, e sempre falo para não fazerem isso com órgãos de saúde e segurança, como hospital e polícia, pois pode atrapalhar a vida de uma pessoa. Tem gente que atende telefone e não é o Willmutt do outro lado. O que é ruim são as pessoas ligando para as rádios e empresas, xingando e falando palavrão, e que se utilizam do nome do personagem Willmutt.

PautaSJP.com/Moro Vídeo - Você conhecia São José dos Pinhais?
Willmutt - É a primeira vez que paramos na cidade. Já tinha passado de carona com os leiteiros e desta vez pedi para ficar e fazer o “Showssasso to Willmutt”. A cidade é parecida com a minha Linha Baixada, lá em Marechal Cândido Rondon, só que lá não tem ônibus. São 45 mil habitantes em Marechal Cândido Rondon, e na Linha Baixada tem umas 600 pessoas, que usam basicamente carossas.

PautaSJP.com/Moro Vídeo - Uma mensagem final?
Willmutt - Eu queria deixar muitos abraços e agradecer a oportunidade de aparecer ao vivo, a cores e em carne, osso e pescoço, de poder falar com os são-joseianos, são-joseienses, enfim, todos de São Joisé dos Pinhais, e abraços ao pessoal da Cooperativa Clac, que a mãe, da mãe, da mãe, e antiga mãe, que veio da Alemanha, há muito tempo, já vendia leite na cidade. Agradeço também a Associação Comercial que nos trouxe pela primeira vez na cidade.

PautaSJP.com/Moro Vídeo - O Willmutt pode dar uma mostra do show?
Willmutt - Ah sim. Sempre me pedem no final das entrevistas uma palinha e eu trouxe aqui uma palinha de milho. Também trouxe umas palinhas doces de banana, morango e de abacaxi para distribuir. Também trouxe o meu último clipe. Tá aqui o meu último clipe para quem não viu. Um grande abração do Willmutt, com dois tes (tts) juntos atrás, e até lá.

[PautaSJP.com]