Coleta seletiva do lixo ainda é precária em SJP

Blog Single
O recolhimento do lixo reciclável separado em residências e comércios de São José dos Pinhais só deve começar a funcionar de verdade na cidade a partir de 15 de julho, quando a prefeitura lança uma campanha para ampliar a coleta seletiva do lixo do município. Hoje, os caminhões baú percorrem alguns bairros, mas a maioria das pessoas e comerciantes não sabem da coleta ou acabam por colocar o lixo reciclável junto com o lixo comum.

Uma campanha de conscientização deve ser feita pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente. “Faremos as informações chegarem à sociedade para que cada um possa fazer a sua parte”, diz a secretária do Meio Ambiente, Edilaine Vieira.

Segundo ela, só a partir de julho é que os caminhões de coleta estarão atendendo todos os bairros. Hoje ele passa por alguns. Mas lugares estratégicos, como o Centro da Cidade, por exemplo, ainda não são atendidos.

“Fazemos a coleta do comércio da Rua XV toda segunda-feira. Retiramos os antigos conteiners, que só acumulavam lixo, e agora temos um horário específico para a coleta do reciclável. Os comerciantes já se habituaram e colaboram”, conta a secretária.

Porém, comerciantes de outras ruas e avenidas movimentadas do município reclamam da falta de atenção da prefeitura em recolher o lixo reciclável. “Nós fazemos um trabalho interno de conscientização dos funcionários e separação do lixo que diariamente produzimos mas não conseguimos dar um fim adequado a ele porque a prefeitura não passa para pegar. Dizem que eu tenho que levar até a Colônia Rio Grande. Mas com isso dificulta tudo”, acredita Samuel Chiodi, gerente de um restaurante na Avenida das Américas. Ele recolhe cerca de 70 quilos de lixo reciclável por semana.

“Precisava de um trabalho mais focado e esclarecedor da prefeitura pois temos a iniciativa, nos preocupamos com o meio ambiente e não vemos o envolvimento, a parceria com o poder público. Ligamos lá e mandam simplesmente a gente se virar. Não é por ai”, ressalta.


Iniciativa pessoal
Na falta de políticas públicas consistentes, cada um acaba ajudando conforme pode. “Como já vi várias vezes o lixo reciclável ser recolhido pelo caminhão de lixo comum, eu carrego meu carro e levo o reciclável até uma cooperativa de catadores de papel. Ao menos eles ganham a vida com isso. Mas não vejo nenhum intermédio da prefeitura. Nenhum apoio”, aponta o churrasqueiro Sergio Zanchetta.

“Eu separo tudo mas passo diretamente a catadores de papel que pegam o lixo em frente ao meu restaurante. Nunca vi caminhão especial da prefeitura ou fui informado sobre políticas para incentivo a estas pessoas”, afirma Henrique Moreira, proprietário de outro restaurante, localizado na rua Tenente D’Jalma Dutra, no Centro de SJP. Por lá são quase 400 quilos de reciclável por semana.

Iniciativa pública
A Secretaria Municipal de Meio Ambiente afirma que acabou de inaugurar um Centro de Triagem e Valorização de Resíduos em São José dos Pinhais. Localizado na Colônia Rio Grande, o Centro emprega 40 funcionários, ex-catadores de papel. A contratação é terceirizada e recebe diariamente quatro caminhões de resíduos sólidos recicláveis, cerca de 200 toneladas por mês. Parte dos recursos financeiros obtidos na Central de Reciclagem é destinada às duas associações de catadores do município.

É para a Central que o lixo, antes levado ao horto da prefeitura – e trocado por flor – deve ser levado agora. “O programa da troca por flores ainda existe. Sempre nas quintas. Também disponibilizamos sacos verdes para a população separar e ajudar na coleta seletiva. Precisamos que todos saibam quando o caminhão passa em seu bairro e ajude separando o reciclável em sacos verdes”, lembra a secretária do Meio Ambiente.

Informações sobre o programa de coleta seletiva de lixo em São José dos Pinhais ligue para 3383-3065.

[PautaSJP.com - texto e fotos jornalista Mauren Lucrecia]

Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: