Vivência completa um ano de atividade em SJP 15-Aug-11

Centro de Atendimento em Psicomotricidade Relacional atendeu, em 12 meses, 39 famílias, com esta metodologia direcionada ao desenvolvimento da personalidade das crianças

Metodologia trabalha com o prazer de brincar, por meio de jogos lúdicos com objetos como arcos, tecidos, bolas e bastões

Em agosto, a Vivência - Centro de Atendimento em Psicomotricidade Relacional completa um ano de trabalho. Na sede da empresa, localizada no centro de São José dos Pinhais, foram atendidas 39 famílias no apoio a pais e filhos de dois a 12 anos, por meio desta metodologia que atua no desenvolvimento emocional das crianças. Nos 12 meses, também aconteceram vários cursos e palestras de temas variados, para professores e funcionários da rede pública e privada de ensino.

Segundo Daniele Précoma Moro, pedagoga e psicomotricista relacional, a metodologia cada vez ganha mais espaço entre os colégios de São José dos Pinhais e clínicas. “A Psicomotricidade Relacional trabalha com aspectos do comportamento que dizem respeito a limites, frustração, agressividade, medos, insegurança, timidez e até mesmo algumas dificuldades ligadas ao contexto escolar, portanto são várias demandas que auxiliam a família e professores”, explica Daniele Moro, proprietária da Vivência.

Na opinião da sócia da Vivência, Luci Moro Rosa, também pedagoga e psicomotricista relacional, além do envolvimento afetivo com as crianças, a participação dos pais tem sido muito presente. “Fazemos um acompanhamento aos pais no sentido de orientá-los, dando algumas dicas de como desenvolver pequenas ações que possam facilitar o dia a dia em família. Também realizamos um acompanhamento nas escolas em que as crianças estudam e a outros profissionais que atuam com elas”, comenta Luci Rosa.


Adolescentes
Com o passar dos meses, as sócias sentiram a necessidade do mercado local e buscaram parceria com a psicóloga e psicomotricista relacional Luiza Helena Rocha. A Vivência possui turma de atendimento a adolescentes. “São encontros semanais em grupo com os adolescentes. Como faz parte do atendimento em Psicomotricidade Relacional, existem as conversas de orientação aos pais”, conta Luiza Rocha.


Cursos e Palestras
Com abordagem de temas importantes no ambiente escolar e familiar, a exemplo, a palestra “Como Dar Limites aos Filhos”, as psicomotricistas relacionais da Vivência realizam vários encontros e palestras. “Promovemos encontros teóricos e práticos para profissionais da Educação. Proporcionar à equipe de trabalho um momento na Psicomotricidade Relacional traz como benefício uma maior integração entre todos, favorecendo a comunicação, a motivação e também as relações interpessoais, independentemente da área de atuação”, avalia Luiza Helena Rocha.


Vivência Baby
Outros projetos são desenvolvidos em paralelo aos atendimentos realizados com frequência regular semanal. Luci Rosa é a responsável pelo “Vivência Baby”. “Crianças de até três anos, que em geral ainda não frequentam escola, participam da Psicomotricidade Relacional no intuito de terem estimulação social, respeitando-se as limitações da idade”, fala Luci.


Verão e Coloninha de Férias
Daniele Moro comenta que a segunda edição da coloninha de férias, no próximo verão, em janeiro, para crianças de quatro a oito anos, será novamente uma semana de alegria e descontração. “Nesta primeira ação tivemos 19 crianças que participaram de atividades psicomotoras e recreativas. Já temos mães interessadas em que seus filhos participem da próxima programação que acontecerá em janeiro de 2012”, diz Daniele.

Parcerias com Instituições de Ensino foram firmadas durante o primeiro ano e, para os próximos meses, Daniele e Luci Ane confirmam os vínculos com outras instituições que estão sendo elaboradas. “A expectativa é que em breve teremos novidades”, projeta Daniele Moro.

PautaSJP.com