Uso do amianto pode ser banido do Paraná

Blog Single
O Ministério Público do Paraná e o Ministério Público do Trabalho realizam entrevista coletiva amanhã, terça-feira (18), às 13h30, para detalhar a campanha que pretende proibir o uso do amianto no Paraná. Além de integrantes da Comissão Interinstitucional pelo Banimento do Amianto no Estado, estarão presentes trabalhadores vítimas de doenças relacionadas à exposição ao amianto e profissionais de saúde que defendem a proibição do produto, que pode trazer graves problemas à saúde, inclusive o câncer.

Participarão da Coletiva: representantes da Associação dos Expostos ao Amianto, Herbert Fruehauf (do Paraná) e Eliezer João de Souza (de São Paulo), trabalhadores que possuem doenças relacionadas ao contato com amianto. Além do procurador de Justiça Saint-Clair Honorato Santos, representante do MP-PR na Comissão, e a procuradora do Trabalho, Margaret Matos de Carvalho, também estarão presentes na entrevista o médico do MPT-PR, Elver Moronte, e o médico sanitarista e consultor da OIT, Zuher Handar, que falarão sobre os riscos que o produto oferece aos trabalhadores. Outra personalidade confirmada é a da auditora fiscal do trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, em São Paulo, Fernanda Giannasi.


Audiência Pública
Tramita na Assembleia Legislativa, um projeto de lei nº 76/2011, de autoria do deputado Luiz Eduardo Cheida (que também participará da coletiva), que pretende banir o amianto no Paraná. Nesta quarta-feira, 19 de outubro, a Comissão Interinstitucional pelo Banimento do Amianto irá promover audiência pública na Assembleia para discutir com a sociedade os riscos do produto e a necessidade de vetar o seu uso no estado.


Seminário
Ainda na quarta-feira (19), será realizado, a partir das 13h30, o Seminário: “Por um Paraná sem Amianto”, na sede do Ministério Público do Paraná (R. Marechal Hermes, 751, auditório Ary Florêncio).


Riscos do Amianto
O amianto é uma fibra muito utilizada na construção civil devido à sua alta resistência, mas é agente degradador do meio ambiente, implicando em grande risco à população por suas propriedades reconhecidamente cancerígenas. As principais vítimas são os profissionais que trabalham na produção de itens que contém esse material. A inalação das fibras de amianto pode causar lesões nos pulmões e em outros órgãos. A exposição indireta - como contato dos familiares com roupas e objetos dos trabalhadores contaminados, morar nas proximidades de minerações ou em áreas contaminadas e frequentar ambientes onde existam depósitos ou descarte de produtos que contenham amianto - também traz riscos.

O uso do amianto é proibido em 52 países (Fonte: Inca) e, embora vários países em desenvolvimento ainda permitam o uso e adotem limites de tolerância para o produto, a Organização Mundial da Saúde adverte que não há um limite seguro para a manipulação do produto. Qualquer tipo de amianto e qualquer concentração no ambiente podem ser perigosos, por se tratar de uma substância cancerígena.

O encontro será às 13h30, na sede do Ministério Público do Trabalho, em Curitiba, que fica na Av. Vicente Machado, 84 – Centro.

Contatos
Gisele Rosso – 3304-9107 – MPT-PR
Maria Amélia Lonardoni – 3250-4229 – MP-PR

Compartilhe esta notícia no Facebook: