“Hoje, é mais importante minha contribuição para a Prefeitura do que na Câmara”, diz Luiz Setim

Blog Single
O deputado federal Luiz Carlos Setim, que comandou a Prefeitura de 1997 a 2004, é o principal nome de oposição como candidato a prefeito de São José dos Pinhais nas eleições de outubro, desde que o Democratas (DEM) realizou a convenção partidária no último sábado (23). Aos 68 anos, ele se lança candidato ao lado do candidato a vice, o ex-vice-prefeito na gestão Leopoldo Meyer (2005-2008), Toninho da Farmácia, também do DEM. Em 2006, Setim foi eleito deputado federal com 88.526 votos. Há dois anos, para seu segundo mandato na Câmara, somou 77.610 votos e se tornou primeiro suplente, ocupando a vaga na coligação do atual secretário de Estado da Fazenda, Luis Carlos Hauly. Para o PautaSJP.com, concedeu uma entrevista exclusiva após o comunicado oficial de sua candidatura, em que falou do racha do partido aliado, o PSDB, e os motivos para deixar de ser deputado. Quanto a este assunto, considera que o deputado federal Leopoldo Meyer continuará uma boa representação de São José em Brasília.

PautaSJP.com - Como é encarar o desafio de uma eleição para comandar a Prefeitura novamente, sendo que São José dos Pinhais mudou muito desde 2004?
Luiz Carlos Setim - Um novo desafio e um novo momento e com a mesma expectativa, trabalho e dedicação, e apoio das famílias e comunidades que querem uma real mudança em São José dos Pinhais.

PautaSJP.com - A escolha dos nomes do DEM para prefeito e vice ocorreu apenas dia 23, a praticamente três meses da eleição de 7 de outubro. Como será participar de uma campanha em tempo tão curto?
LCS - A convenção é a partida para a campanha eleitoral de forma que a nossa equipe começa a mobilização de divulgação dos nossos projetos eleitorais.

PautaSJP.com - O DEM, com três, dos quatro vereadores, era base de apoio do prefeito Ivan Rodrigues. A saída dos três nomes para o partido do prefeito Ivan, o PSD, ano passado, foi o motivo para o seu partido começar oposição?
LCS - Respeitamos o prefeito atual. O apoio às ações do Executivo foi positivo para as comunidades, mas não significa que no processo eleitoral tenhamos que estar juntos. Infelizmente houve esse abandono ao Democratas, porém, acredito que eles sentirão a diferença de comportamento do nosso partido. Também desejo que eles sejam felizes.

PautaSJP.com - Sobre esta aliança dos partidos DEM-PP-PTB-PSB-PSDB, como é organizar uma campanha sendo que no PSDB, de cinco vereadores, quatro declaram que queriam apoiar o prefeito eleitoralmente e o partido hoje tem nomes em cargos da Prefeitura?
LCS - O PSDB não está rachado. O partido teve algumas ideias e oportunidades que acredito que atenderam interesses. Talvez na dúvida de que haveria um candidato representando o governo do Estado e este grupo democrático. Temos a absoluta certeza de que com esta coligação estaremos unidos para um único objetivo.

PautaSJP.com - Qual foi o critério para a escolha do candidato a vice Toninho da Farmácia?
LCS - Primeiro que o Toninho é leal e companheiro. Sempre esteve conosco nas vitórias e derrotas. É uma escolha do partido e do grupo, que dará uma grande contribuição. Ele é um migrante que veio de fora e conseguiu espaço e dá a sua colaboração para São José dos Pinhais.

PautaSJP.com - Em 2010, o senhor teve 77.610 votos. O que dizer para estes eleitores quanto ao seu interesse em voltar a ser prefeito?
LCS - O meu agradecimento. Em todas as minhas eleições tive o reconhecimento de eleitores que me conhecem e muitos que não me conhecem. Peço o apoio destes eleitores e dos amigos que querem ver São José dos Pinhais em um rumo diferente na busca de soluções para os problemas do município.

PautaSJP.com - O senhor é de uma família tradicional da cidade e o prefeito Ivan veio de São Paulo a pouco mais de 20 anos. A campanha eleitoral pode se caracterizar como um embate entre culturas de quem nasceu e não nasceu em São José, ou seja, eleitores da cidade e eleitores que vieram nos últimos anos?
LCS - Não acredito, pois São José dos Pinhais é uma localidade aberta à migração e isto aparece no aumento populacional. O slogan na nossa gestão era Terra de Todas as Gentes. Recebemos comunidades de outros estados e também países. Logicamente, que aqueles que por aqui nascem, como eu, com 54 anos trabalhando no município, possuem um grande conhecimento sobre São José. Os outros têm este conhecimento, mas nós um pouquinho mais.

PautaSJP.com - Existe a questão dos deputados, como outros cargos do Legislativo, não precisarem interferir em situações cotidianas de curto prazo na cidade. Já o prefeito sempre pode ser acordado de madrugada. Vale a pena deixar de ser congressista para ser prefeito novamente?
LCS - É diferente sim. Lembro que em 1998, se não me engano, retornava de Curitiba com o meu vice na época, o deputado estadual Francisco Bührer, tarde da noite, e vimos que o bairro Cidade Jardim estava alagado, pois chovia intensamente. Nós passamos de casa em casa alertando a população. Aquilo foi importante e as pessoas entenderam o nosso comprometimento com a cidade.

PautaSJP.com - Em 2008, o seu filho, Sandro Setim saiu candidato a prefeito e não se elegeu. Como foi a conversa com ele quando comentou que o senhor sairia candidato?
LCS - Agradeço o trabalho do Sandro na época que aceitou um desafio e não mediu esforços em um momento difícil do partido. Quem sabe a população se arrependeu de não ter votado naquele que indicamos em 2008. Hoje, é outro momento. Tenho trabalhado na Câmara Federal e acredito que a minha dedicação ao nosso município será muito mais importante do que a representação no Congresso, e com o deputado federal Leopoldo Meyer a cidade estará muito bem representada em Brasília.

PautaSJP.com


Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: