Mostra no Teatro da Caixa traz 35 imagens documentais e conceituais

Blog Single
Exposição são registros de uma época

Fonte Gazeta do Povo 26/08/08

Mostra no Teatro da Caixa traz 35 imagens documentais e conceituaisrealizadas por fotógrafos norte-americanos do início do século 20 do início do século passado teve papel fundamental para a construção da diversidade e da identidade da população dos Estados Unidos.
Em 1935, o então presidente Franklin Roosevelt criou um projeto – batizado de Farm Security Administration (FSA) – de assistência ao interior do país, devastado pela Grande Depressão, decorrente da quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque, em 1929.

Excursões
Entre os fotógrafos da Farm Security Administration (FSA), destacam-se Walker Evans e Dorothea Lange.
Walker Evans começou a fotografar em uma viagem à Europa, na década de 20. Após retornar a Nova Iorque, tornou-se reconhecido pelas fotos "educativas, confiáveis e transcendentes" que realizava para a FSA.
Dorothea Lange, percorreu 22 Estados do sul e do oeste dos Estados Unidos, recolhendo imagens que documentam o impacto da Grande Depressão na vida dos camponeses. É autora da fotografia "Mãe Emigrante", de 1936 (acima), uma das mais reproduzidas da história da fotografia.
Como parte da empreitada, escalou um time de 15 fotógrafos, que percorreu as entranhas norte-americanas documentando o dia-a-dia das pessoas sob uma ótica propagandística. Mesmo feitas para atender a interesses políticos, muitas das imagens – mais de 272 mil, no total – marcariam época e influenciariam o modo de clicar de grandes publicações, como as revistas Life e Look.
Uma amostra deste empreendimento fotográfico pode ser conferida na exposição Fotógrafos Norte-Americanos, que abre hoje na Galeria da Caixa. Estarão nas paredes 35 imagens em preto-e-branco, cópias em sal de prata ampliadas dos negativos originais do arquivo do governo americano, de autoria de Gordon Parks, Arthur Rothstein, Dorothea Lange, Paul Strand, Alfred Stieglitz, Jack Delano, Lewis Hine e Walker Evans.
A iniciativa é do fotógrafo e professor paulista João Kulcsár, curador da mostra, que recentemente trouxe a Curitiba a exposição Magnum 60 Anos, reunindo 40 dentre as incontáveis imagens que entraram para a história feitas por fotógrafos da agência.
Entre 2002 e 2003, Kulcsár ganhou uma bolsa do Programa Fulbright, do Departamento de Educação do governo dos EUA, que lhe permitiu passar um ano na Universidade de Harvard, em Cambridge, estado de Massachusetts, como professor visitante e especialista em Educação Visual. Na bagagem de volta, trouxe idéias para ambas as exposições.
Fotógrafos Norte-Americanos registra um período anterior à história da Magnum, criada em 1947. As imagens selecionadas percorrem um período de 51 anos, a partir de 1910, de fotógrafos que lançariam as bases da fotografia documental. “Antes de ir a campo, esses fotógrafos faziam muita pesquisa. Isso estabeleceu um padrão na fotografia documental”, diz Kulcsár.
Os fotógrafos contratados pela FSA, em atividade de 1935 a 1943, tornaram-se referência, mesmo servindo ao propósito oficialesco de divulgar as ações do governo norte-americano após a Grande Depressão. Kulcsár atribui isso ao fato de que, a partir dos temas propostos, “eles vão começando a criar, a fazer suas críticas".

Status de arte
Além das imagens feitas para a FSA que integram a mostra, o curador selecionou outros fotógrafos importantes do início do século passado, como Lewis Hine e Alfred Stieglitz.
Lewis Hine foi contratado pelo governo, na década de 1910, para retratar o trabalho infantil nas fábricas, minas, ruas e campos. Suas fotos de crianças trabalhando em condições precárias levaram o Congresso a aprovar uma lei que proibiu o trabalho infantil. Na fotografia "The Steerage", de Alfred Stieglitz, feita em 1907, não há uma preocupação clara com o social ou o documental, mas com a forma estética dos objetos. “Proponho um panorama com um pouco do que foi feito nos Estados Unidos naquele período. Há o trabalho documental, mas também há fotos com status de arte, mais conceituais”, explica Kulcsár.

Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: