Aikido, 51 anos no Brasil. Em São José dos Pinhais, Keiko Dojo mantém tradição do desenvolvimento desta arte marcial que preza a evolução pessoal sem campeonatos, troféus e medalhas

Blog Single
Nos tempos de crescimento do MMA na mídia, que gerou o UFC, o campeonato mais popular do mundo e com as maiores bolsas de pagamento, a tradição milenar do Aikido resiste e continua ganhando adeptos de um jeito bem particular. No Aikido não existem competições, desafios entre academias, entrega de troféus e medalhas. A cultura desta forma de defesa pessoal japonesa é baseada no treinamento coletivo e total respeito aos colegas. Em São José dos Pinhais, os treinos acontecem no Keiko Dojo Aikido, academia vinculada à União Sul Americana de Aikido Kawai Shihan, com sede em São Paulo. A entidade paulista leva o nome do mentor do Aikido no Brasil, o japonês Reishin Kawai, radicado em São Paulo em 1963, ano que oficializa a entrada da arte marcial no País.

Os praticantes do Aikido em São José são liderados pelo militar da reserva, Lincoln Pimpão Ferreira. “Os movimentos de defesa pessoal, que causam o desequilíbrio de um possível adversário por meio de esquivas, alavancas e torções, são extremamente rápidos e eficientes, o que garante a imobilização sem a necessidade de força exagerada e traumas. A prática com o uso de espadas de treinos, chamadas de boken (espada de madeira), proporcionam a melhoria da postura, principalmente das mãos, pois muitos movimentos são baseados na condução das espadas utilizadas pelos antigos samurais”, explica Sensei Lincoln Ferreira, faixa preta 4ª DAN, certificado pela AIKIKAI, entidade que centraliza todos os praticantes de Aikido do mundo, com sede em Tóquio no Japão.

Nos ensinamentos no dojo são-joseense, Sensei Lincoln trata não apenas da questão espiritual. Ele também tem uma visão racional dos movimentos. “A harmonia passa pelo equilíbrio do centro de gravidade. A eficiência da performance tem muito de física pura, quando diferentes vetores de energia interagem. Então, explica-se do porque uma pessoa mais leve e de menor tamanho conseguir imobilizar alguém muito maior”, avalia o sensei.

Por uma questão de cuidado com o corpo das crianças, diante de vários rolamentos que acontecem, o público alvo são praticantes a partir dos 12 anos. “Mas na vida adulta são décadas de Aikido. O importante é o aperfeiçoamento constante e o trabalho contínuo. Mestres bem idosos ainda praticam a arte marcial com grande qualidade, o que é ótimo para os jovens que podem projetar uma longa vida no Aikido. E o contato com a juventude é importantíssimo, pois não é uma expressão cultural fechada. Nas aulas e seminários surgem contribuições, inclusive dos alunos, com novas possibilidades de movimentos”, lembra Lincoln Ferreira.

O Aikido tem suas origens nas artes marciais mais antiga do Japão e significa “caminho da harmonização da Energia /Amor”. São movimentos dentro da ótica da não resistência, sem uso da força bruta. O fundador do Aikido, Sensei Morihei Ueshiba (1883-1969), dizia que “o homem que deseja brigar perde sua ligação com o Universo e aquele que tenta dominar as pessoas termina dominado, sendo uma arte de resolver os conflitos e não de iniciá-los.” O símbolo máximo dessa arte marcial no Brasil foi o Sensei Reishin Kawai – 8º Dan, falecido em 2010, deixando esse grande legado.

São nove anos de atividade do Keiko Dojo Aikido em São José dos Pinhais. Informações: Associação Desportiva Sansão de Artes Marciais (ADESAM), centro, Rua Germano Schlogel nº 93, telefone (41) 30813730 / (41) 9905-8962. Facebook: KEIKO DOJO - AIKIDO, Home Page www.aikidokeikodojo.com.br , e-mail aikidosaojose@hotmail.com.

PautaSJP.com

Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: