Escolas estaduais de São José dos Pinhais em greve

Blog Single
As escolas estaduais de São José dos Pinhais aderiram ao movimento do Paraná e hoje (09) não funcionarão pois os professores estão em greve. A segunda-feira é o começo do calendário escolar 2015 que abrange quase 1 milhão de matriculados em mais de 2 mil unidades no Estado.

A paralisação não traz nenhum indício de retomada das atividades amanhã (10) pois o impasse entre governo do Estado e a categoria está baseado em várias questões que serão apresentadas para votação na Assembleia quarta (11).

O Executivo estadual aponta que precisa prover uma série de cortes para equilibrar o orçamento. Entre as ações já tomadas, formulação de projeto de lei que prevê a extinção dos quinquênios e torna mais difícil a retirada de licenças, o fim de vale-transporte para professores afastados e alterações na Previdência dos servidores.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública no Paraná (APP-Sindicato) questiona as mudanças e denuncia que as unidades educacionais não tiveram repasse para os pagamentos das despesas administrativas nos últimos dois meses, demissões de 29 mil temporários sem pagamento da rescisão dos contratos, não pagamento do total das férias dos servidores, etc. A Secretaria de Estado da Educação reconhece as dívidas e diz que ainda antes do Carnaval haverá quitação de pendências, porém, não detalha o quanto será pago.

A diretora do Colégio Estadual Unidade Polo, Denise Précoma, diz que lamenta o não retorno das aulas. \"Entendo que muitos estavam ansiosos para o início das atividades, assim como nós professores e funcionários, mas o clima é de muita dúvida quanto aos projetos do governo e falta de nomeação de concursados\", queixa-se Denise Précoma.


Apoio dos pais e alunos
Eram 7h15 desta segunda-feira quando Adilson Machado dos Santos parou seu carro em frente ao Polo, na Rua Joinville. Apesar de saber da provável greve, Adilson trouxe o filho, Honorato Machado dos Santos Neto, aluno da sétima série.

“Eu sabia que praticamente era certa a paralisação, mas fiz questão de passar por aqui para comentar que sou a favor desta greve. Os professores devem ter estrutura financeira e nas escolas para trabalharem. O certo seria uma foto no portão do colégio com todos os professores, estudantes e os pais”, comenta Adilson dos Santos.

PautaSJP.com

Compartilhe esta notícia no Facebook: