Pela 5ª vez, prazo de fim de obra do PAC da Copa em SJP é adiado

Blog Single
O Brasil foi escolhido como sede da Copa do Mundo 2014 sete anos antes, em 2007, quando começaram as discussões em relação aos projetos de mobilidade. A presença do Aeroporto Internacional Afonso Pena em São José dos Pinhais despertou o interesse do Poder Público em realizar diversas alterações viárias. Em 2012, diante da realidade financeira, propostas como o anel metropolitano e a trincheira da Rua Joinville foram engavetadas. Mudança, de fato, a construção de uma ponte que não melhora efetivamente o trânsito, a ponte estaiada, perto da Linha Verde, e a requalificação das avenidas Torres e Marechal Floriano, entre São José e a Capital. O Mundial da FIFA já terminou há oito meses. Ano que vem, acontece a Olimpíada no Rio de Janeiro. Os canteiros de obras ainda infernizam a vida de moradores e empresas. Ontem (09), o governo do Paraná anunciou a quinta prorrogação, e para setembro, da conclusão das trincheiras e pontes que fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Copa.

Nos bastidores circula a informação de que as empreiteiras não podem ser processadas com base nos contratos porque ainda há fases de obras que não tiveram o repasse do governo do Paraná e Prefeitura da Capital.

Quanto mais tempo mais custo. Segundo levantamento divulgado pelo Tribunal de Contas (TC) do Paraná, o custo total do PAC da Copa teve, desde a assinatura, em 2010, acréscimo de 13,97%, com aumento de R$ 431,1 milhões para R$ 491,35 milhões. A dívida somada é R$ 20,22 milhões, sendo R$ 12,45 milhões do Estado e R$ 7,77 milhões da Prefeitura da Capital.


Seis grandes obras atrasadas em SJP
Na proposta do Corredor Aeroporto-Rodoferroviária estão em andamento a conclusão da ponte da Avenida Salgado Filho na Avenida Torres, com o Parque São José dos Pinhais e a Rua Joaquim Nabuco, a trincheira da Rua Arapongas (Igreja São Cristovão) e a trincheira do Aeroporto Afonso Pena. No trecho Corredor Marechal Floriano está em atraso a requalificação da ponte entre São José e o bairro Boqueirão incluindo os dois quilômetros da Avenida das Américas, a trincheira da Rua Claudino dos Santos e a trincheira da Rua Joaquim Nabuco, também na Avenida das Américas.

De acordo com o diretor-técnico da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), Sandro Setim, houve necessidade de alteração no orçamento por causa do solo. “Quanto aos atrasos, o período eleitoral travou a tramitação de aditivos de julho a novembro, passado”, explica Sandro Setim.

PautaSJP.com

Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: