“Futuros” moradores do Parque das Nações relatam que construção em cima de manancial nunca foi tema de informação na assinatura dos contratos. Conjunto de 600 apartamentos de São José dos Pinhais tem obra paralisada pela Justiça.

Blog Single
Após a divulgação da decisão judicial da 11.ª Vara Federal de Curitiba, de paralisar a construção do conjunto de mais de 600 apartamentos, no Parque das Nações, no Afonso Pena, muitos leitores do PautaSJP.com entraram em contato com a redação. Entre os depoimentos, a certeza de que o fato da obra estar em uma área de manancial nunca foi tema de conversas na formalização dos contratos. Apesar de autorização da Prefeitura de São José dos Pinhais e do Instituto Ambiental do Paraná (governo do Estado), a Justiça aceitou a queixa do Ministério Público de que o projeto coloca em risco a manutenção das áreas encharcadas da Avenida Rui Barbosa com a sede da obra, na Rua Anneliese Gellert Krigsner.

Para evitar maiores exposições, por enquanto, os nomes das pessoas prejudicadas não é mencionado, pois talvez a construtora, a Parque das Nações Empreendimentos Imobiliários, demais responsáveis, ou os agentes financiadores como a J.Malucelli e Caixa Econômica, tenham que bancar o aluguéis de mais de 300 famílias que já adquiriram as unidades. O empreendimento já se encontra com data de entrega vencida, pois os compradores, de acordo com contrato, poderiam ocupar os apartamentos a partir de novembro de 2014.

“A marca J. Malucelli foi usada como chamariz para dar credibilidade à obra e imaginávamos que seria o nome da construtora, mas existem outros nomes: Fórmula Empreendimentos Ltda, SPE Parque das Nações Empreendimentos Imobiliários Ltda e EMEC”, conta um dos compradores.
“Compra e não tem o direito de ocupar. Esta é a pior notícia na minha vida nos últimos anos”, diz uma compradora. “Assinamos o contrato em 2012 e já planejávamos a mudança. Ligamos recentemente para a construtora e eles nos informaram que a obra vai sair sim e que é para ficarmos tranquilos. É claro que estamos muito preocupados”, fala outra compradora.

Na internet, a propaganda do empreendimento ainda está no ar (https://www.youtube.com/watch?v=PAQvy6su3PM). A reportagem busca conversar com os responsáveis pelo projeto para andamento das matérias.


PautaSJP.com

Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: