Há dez anos, criação do CDP tirava detentos da Delegacia de São José dos Pinhais. Porém, governos mudaram e uma década depois excesso no número de detidos continua a gerar fugas como da última sexta (31), quando 33 detidos escaparam por túnel.


Blog Single Representantes da Aciap e Subseção da OAB novamente reivindicam fim das atividades
Era o ano de 2005 quando o governador do Estado, Roberto Requião, anunciava a abertura do Centro de Detenção Provisória (CDP) de São José dos Pinhais, o que acabaria com a “prisão” da Delegacia da cidade. Vieram os anos do governador Beto Richa em que chegou a ser anunciado o projeto da nova delegacia, em local indefinido. Depois, foi lançada a ideia da nova unidade no bairro Cidade Jardim e de concreto nada aconteceu. E concreto, grades de ferro e telhado que não evitaram centenas de fugas em uma década deixando a população e moradores do município de cabelo em pé. Na última sexta (31), de madrugada, 33 detidos fugiram por um novo túnel. Até o momento, quase todos foram recapturados, mas a comunidade não quer saber de novas fugas.

A Associação Comercial (Aciap), cuja sede é vizinha à Delegacia, já encaminhou por muito tempo dezenas de ofícios aos órgãos públicos pedindo providências. “Seja para órgãos municipais como a Câmara de Vereadores e Prefeitura ou estaduais como a Secretaria de Estado de Segurança, a Aciap sempre defendeu o fim da carceragem. Onde cabem 25, são encarcerados 120 a quase 150 detidos. Em 2013, o governo do Estado nos informou que seria apenas uma questão de licitação para a construção já que o Município doou o terreno. Aguardamos uma solução imediata”, queixa-se o presidente da Associação, Claudemir Gibrim.

Outra entidade que há anos participa das queixas contra o funcionamento da Delegacia é a Subseção São José dos Pinhais da OAB-PR. “A Defensoria Pública requereu liminar que pede a interdição imediata do prédio com prazo de 30 dias para remoção dos detidos e pagamento de multa diária de R$ 5.000,00 em caso de descumprimento. Em 2013, a Subseção ingressou no processo de interdição da delegacia no qual consta o relatório da Comissão de Direitos Humanos que vistoriou as celas e as condições à época. A Comissão tem acompanhado o processo de construção da nova delegacia, cujo terreno foi doado pelo Município ao Estado em dezembro de 2013 e que esta em fase de licitação”, fala o vice-presidente da Subseção, Jaiderson Rivarola.

A reportagem está em contato com a Secretaria de Estado para saber em que pé está o projeto da delegacia do bairro Cidade Jardim.

PautaSJP.com



Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: