Candidatos ao Conselho Tutelar de SJP acusam vereadores de terem transportado eleitores. Realizada há um mês, votação poderá ser cancelada após denuncia no Ministério Público.


Blog Single São nove legisladores apontados em cooptação frente a 21 vereadores na Casa
Candidatos derrotados na eleição do Conselho Tutelar de São José dos Pinhais, que aconteceu dia 04 de outubro, acusam vereadores de terem transportado eleitores. Segundo grupo de 14 pessoas que concorreu à votação e perdeu, boa parte dos representantes da Câmara influenciou o resultado ao ampliar a margem de votos de concorrentes ligados ao Legislativo. A queixa foi protocolada no Ministério Público (MP). A reportagem mantém o nome das fontes em sigilo, pois elas alegam que poderão ser vítimas de perseguição.

“Os vereadores se metem em tudo que possa gerar voto para eles e a eleição do Conselho Tutelar não seria diferente. Temos provas do transporte irregular e estamos colhendo mais indícios para o MP, pois as regras eleitorais são claras quanto aos impedimentos de carregar pessoas”, diz um dos candidatos derrotado.

A votação foi realizada na cidade em dois locais: no Centro, no Colégio Estadual Costa Viana, e no bairro Afonso Pena na Faculdade das Indústrias (antiga Famec). Concorreram 46 pessoas, sendo 20 para a região do Afonso Pena e 26 para a área Central.

São apontados na infração de cooptação de votantes os seguintes vereadores: Mari Temperasso (PSDB); Tadeu Camargo (PSL); Alberto Setnarsky (PMDB); Gilberto de Mello (PV); Edison Celli (PSC); Luíz Paulo de Lima (PSB); Luíz Carlos Monteiro (PSB); Nina Singer (DEM); e Onildo dos Santos (SDD). Um pedido de posicionamento diante da acusação foi enviado para os políticos mas, até o momento, de produção da matéria, não houve retorno.

Foi a primeira vez que o processo eleitoral organizado em centenas de cidades brasileiras, pelos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), aconteceu de maneira unificada no País. Em São José dos Pinhais, o processo ocorreu em colégios estaduais como o Costa Viana. Foram escolhidos dez conselheiros, divididos nos grupos Afonso Pena e Centro, para exercerem mandato de quatro anos, até 2019.

Criados em 1990, com a publicação do Estatuto da Criança e do Adolescente, os Conselhos Tutelares têm o papel de zelar pela garantia e defesa dos direitos da criança e do adolescente por parte da família, da comunidade e do Poder Público, fiscalizando a atuação de órgãos e entidades governamentais e não-governamentais. Isso acontece sempre que os direitos de crianças e adolescentes forem ameaçados ou violados pelo Estado, pela sociedade, por pais ou responsáveis. Eles trabalham, por exemplo, para proteger crianças e jovens que se encontram em situações de negligência, exploração sexual e violência física e psicológica, podendo, nesse sentido, requisitar serviços públicos nas áreas de saúde, educação, serviço social, previdência, trabalho e segurança.

PautaSJP.com

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: