Eco Guaricana no Litoral - De São José dos Pinhais ao Parque Nacional Saint Hilaire/Lange. A Serra da Prata envolve cidades como Guaratuba, Matinhos, Paranaguá e Morretes, proporcionando opções para passeios de mountain bike e trilhas a pé.


Blog Single Serra da Prata, localizada a 80km de SJP, nas lentes de Leonardo Milano
A Eco Guaricana saiu de São José dos Pinhais, cidade que proporciona muitas opções de passeios na Natureza, para uma aventura no Litoral. O município tem uma Mata Atlântica bem preservada que se prolonga pela Serra do Castelhanos e Serra da Guaricana em direção a Guaratuba e Morretes. Uma parte da cadeia de montanhas das praias é a Serra da Prata, onde esta localizado o Parque Nacional Saint Hilaire/Lange. Seja a pé ou de bicicleta, não faltam estradas de terra e diversos atrativos de fauna e flora. Quem passa dias e semanas na areia do mar pode não imaginar que a poucos quilômetros moram bichos de pequeno e médio porte como jaguatirica, bugio, veado-mateiro e que convivem em meio a plantas como jacarandá, xaxim, orquídeas e bromélias.

Como outras áreas importantes da bio diversidade, o Parque Nacional Saint Hilaire/Lange é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação (ICMBIO). O Parque apresenta muitas nascentes de água, ou seja, um cenário perfeito de morada dos animais. São centenas de quedas de água, lagoas e rios que descem em direção às baías. O Plano de Manejo do local ainda está sendo elaborado. A falta de Centro de Visitantes pode ser compensada pela troca de experiência entre turistas e os técnicos e funcionários do ICMBIO. Cada interessado em estar no Saint Hilaire/Lange pode contribuir com informações para o desenvolvimento sustentável do espaço. Os passeios estão marcados, mas não há, por exemplo, lixeiras de resíduos.

Antes de iniciar em trilhas até localidades denominadas como Cabaraquara, Cachoeiras da Quintilha, Cachoeira do rio das Pombas, Morro do Escalvado ou Morro da Cruz, Salto do Tigre, Salto Parati e Trilha da Torre da Prata, os turistas podem pedir orientação na sede do ICMBIO (41-3452-6340) e no e-mail parnashl.pr@icmbio.gov.br. O link no site sobre as atrações: https://parnasainthilairelange.wordpress.com/visitacao/.

A Eco Guaricana fez um trajeto de carro entre Paranaguá e Matinhos até a proximidade da área preservada (BR 277), na parte Norte do Parque, onde existem muitos sítios e chácaras. De bicicleta, entramos nas vias de terra que circundam as florestas. Alguns trechos sobem em direção à Serra da Prata. Depois de cerca de dois quilômetros de subidas bem íngremes, é possível ver lá de cima um pouco das praias. Proprietários acessam a região de moto ou veículos modelo camionete ou 4X4. As ruas passam na frente de residências e não tem qualquer tipo de lanchonete ou restaurante. Onde a Eco Guaricana parou para uma refeição era possível enxergar a Baía de Antonina. Na volta, de bike, a descida é quase um “downhill”.


Eco Guaricana
A Eco Guaricana iniciou suas atividades em 2013 em São José dos Pinhais atendendo mais de mil pessoas interessadas no contato com a Natureza, incluindo crianças de grupos de escoteiros e profissionais da área ambiental, como biólogos e oceanógrafos. Em 2016, amplia os passeios para outras cidades como opção a grupos familiares, de empresas e de amigos. Os visitantes, sempre em datas agendadas e com exclusividade podem curtir as trilhas em meio à Mata Atlântica e participar de caminhadas, trekking, pedaladas, rapel, banhos em cachoeiras, etc. Informações no Facebook Eco Guaricana, site www.ecoguaricana.com.br, e-mail luci.ane@ecoguaricana.com.br e nos telefones 3058-4192 e 9918-5447.


Outros dados Saint Hilaire/Lange
O site www.parnasainthilairelange.wordpress.com, do ICMBIO, traz mais informações. Criado em 23 de maio de 2001 por meio da Lei nº 10.227, o Parque está localizado no litoral do Paraná a apenas 100 km da capital do Estado, Curitiba, e a 40 km da cidade portuária de Paranaguá. Situa-se na porção sul da Serra do Mar paranaense, fazendo divisa com a baía de Guaratuba, com a planície litorânea e com o vale do rio Cubatãozinho, abrangendo regiões que variam de 10 metros sobre o nível do mar até as montanhas do maciço Serra da Prata, com altitudes superiores a 1.400 metros.

A região da Serra da Prata representa um dos últimos refúgios naturais da região, favorecendo a sobrevivência de espécies altamente especializadas, resultando em um alto grau de endemismo e abrigando diversas espécies da flora e da fauna ameaçadas de extinção. A vegetação é composta pela Floresta Ombrófila Densa (Floresta Atlântica) que é responsável pela manutenção do microclima da região, regulando o regime hídrico dos cursos d’água e garantindo a qualidade dos mananciais que abastecem o litoral do Paraná. As companhias de abastecimento de água operantes na região captam cerca de 800 litros de água por segundo em mananciais originados no PARNA de Saint-Hilaire/Lange, garantindo o abastecimento dos municípios de Matinhos, Pontal do Paraná e Paranaguá.

A cobertura vegetal também previne contra a ocorrência de deslizamentos nas encostas, reduz a erosão e o assoreamento dos rios e das baías do litoral. Deve-se destacar ainda, os valores histórico-culturais da região que, aliados à biodiversidade e à belíssima paisagem montanhosa, resultam em alto potencial turístico, uma das atividades econômicas que mais cresce no mundo.

Inserido na área-núcleo da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e na Área de Proteção Ambiental Estadual de Guaratuba, protege um dos trechos mais bem conservados de Mata Atlântica no país. Constitui ainda, pela sua posição geográfica e importância ecológica, um elo fundamental na composição do Mosaico dos Ecossistemas Costeiros e Marinhos do Litoral Sul de São Paulo e do Litoral do Paraná (Portaria MMA n° 150/2006) – forma de gestão integrada que visa compatibilizar a gestão da biodiversidade, a valorização da sociodiversidade e o desenvolvimento sustentável em um contexto regionalizado.

No PARNA de Saint-Hilaire/Lange estão representadas diversas unidades tipológicas da Floresta Atlântica: Floresta Ombrófila Densa Submontana, Floresta Ombrófila Densa Montana e Floresta Ombrófila Densa Altomontana, além dos Refúgios Vegetacionais (Campos de Altitude) e da vegetação secundária encontrada principalmente em regiões de baixa altitude onde as alterações promovidas pelas atividades humanas foram mais frequentes. São encontradas diversas espécies ameaçadas de extinção tais como Palmito Jussara (Euterpe edulis), Canela-preta (Ocotea catharinensis), Canela-sassafrás (Ocotea odorifera), Guassatunga (Casearia paranaensis), Xaxim (Dicksonia sellowiana), Guamirim (Myrcia tenuivenosa), além de um grande número de epífitas, com destaque para bromélias e orquídeas. Entre os representantes da fauna, merece destaque o pequeno anfíbio Brachycephalus izecksohni, espécie de anuro que mede cerca de 1,2 centímetros e é endêmica da Serra da Prata. Também encontram refúgio no Parque Nacional: Jaguatirica (Leopardus pardalis), Lontra (Lontra longicaudis), Veado-Mateiro (Mazama sp.), Jacutinga (Aburria jacutinga), Tucano-de-bico-verde (Ramphastos dicolorus), Saíra-sete-cores (Tangara seledon), entre outros.

PautaSJP.com e informações ICMBIO

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: