Educadoras de SJP perdem na Justiça, mas greve continua


Crianças dos Centros de Educação Infantil estão sem aula desde segunda-feira

Blog Single Protestos ocorrem na Prefeitura e na Câmara Municipal (foto). [Imagem Sinsep]
A Prefeitura de São José dos Pinhais conseguiu do Tribunal de Justiça do Paraná um parecer que considera ilegal a greve das educadoras que trabalham nos Centros de Educação Infantil e creches. A paralisação, desde a última segunda (15), vai se estender ao longo da semana, pois o sindicato da categoria (Sinsep) recebeu a decisão como uma mostra que o prefeito Luiz Carlos Setim não quer negociar.

“Vamos também à Justiça”, publicaram os líderes do movimento no site do Sinsep. Entre as reivindicações dos grevistas, a separação do cargo de educadora social entre a educação e assistência social, hora atividade para educadoras e atendentes de creche e o cumprimento da resolução 02/2015 que trata do número de crianças por profissional.

O prefeito Setim disse aos representantes do sindicato, ontem (16), antes da divulgação da liminar, que, em consulta ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público, a separação é ilegal. A decisão judicial trata de imediato retorno às atividades com descumprimento passível de multa diária de R$ 20 mil em caso de descumprimento da liminar.

PautaSJP.com

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: