Milhares pessoas concordam com a ética do taxista


Postagem no Face do PautaSJP.com sobre motorista que se recusou a dar recibo com valor maior ao passageiro atingiu mais de 100 mil visualizações

Blog Single Atitude nobre que deveria ser comum ocorreu sábado (19)
Uma história simples que ocorreu no último sábado (19) dentro de um taxi teve uma grande projeção nas redes sociais. O PautaSJP.com publicou no Facebook da página do site de notícias o caso de um taxista de Curitiba que levou um passageiro até São José dos Pinhais, no Aeroporto Internacional Afonso Pena. O homem criticava a corrupção no governo federal e quando chegou ao destino o taxímetro marcava R$ 80. "Você pode me dar um recibo de R$ 150?". O motorista respondeu: "Não, ainda mais depois de tudo que você falou!”. Desde a nota publicada segunda (21), a mensagem alcançou mais de 100 mil visualizações e outras milhares de curtições e compartilhamentos e comentários.

Praticamente, 100% das participações dos internautas, cravam que pegar um real, seja público ou privado, é pegar dinheiro alheio e a atitude, mesmo que num primeiro momento pareça ser um escorregão, traz consequências a um determinado grupo e à ética do País em geral, pois pegar também é roubar.

Uma internauta comentou que se apropriar da diferença de valor de recibo, que poderia ser dado por um taxista, nem se compara ao que a família do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB), supostamente com dinheiro desviado dos cofres públicos, gastou na Europa. Porém, foi um comentário isolado.

Separamos algumas críticas a este tipo de posição. Outras oportunidades de ser desleal também foram lembradas pelos internautas:

- “Não adianta nada a pessoa ser contra a corrupção e usar o Windows pirata”, Edson Gazoli.

- “O pior é o dentista que fica falando mal enquanto você não pode falar nada, e depois pergunta vai querer recibo?”, Carlos Batista.

- “A corrupção começa nessas pequenas atitudes. O cidadão critica e condena, mas ele mesmo comete o ato criticado com a finalidade para se favorecer. Crime é crime, não importa se o potencial ofensivo é grande ou pequeno. O que precisa mudar é a consciência da população”, Denise Pereira do Vale.

- “Esse é o brasileiro querendo Justiça, fala da corrupção e é corrupto. As mudanças também tem que partir de cada brasileiro e desde o berço”, Solange Ramos Sol.

- "Eu não duvido de mais nada em um país que fulanos pegam atestado para ficar em casa curando a ressaca de domingo", Paulo Silva Kambote.

- “Exemplo a ser seguido parabéns a este profissional do volante”, Sidnei Oliveira.

PautaSJP.com

Compartilhe esta notícia no Facebook: