MP desconfia de superfaturamento na cooperativa médica de SJP


São José dos Pinhais amanhece com falta de médicos da Medical. Prefeitura abriu licitação de emergência para recontratar 36 profissionais.

Blog Single Executivo Municipal divulgou que tentará remanejamento para manter serviços
Após impasse entre o Ministério Público do Paraná (MP-PR) e a Prefeitura de São José dos Pinhais, durante o mês de junho, quanto a contratação dos médicos via Programa Estratégia de Saúde da Família, a cidade amanheceu nesta segunda feira (04) sem 36 médicos nos postos de Saúde, que atendiam via a Cooperativa Medical. O MP-PR ajuizou ação na Justiça porque desconfia que haja superfaturamento na licitação iniciada há três anos e quer a realização de concurso público. A Prefeitura abriu uma licitação emergencial, pois, dez, das unidades, estão sem o serviço clínico, frente a 29 postos de Saúde no município.

Atualmente, de acordo com a própria Prefeitura, 36 médicos são terceirizados e respondem por 63% dos atendimentos das unidades básicas de saúde de São José dos Pinhais. O contrato com a empresa prestadora de serviços foi iniciado em 2012 e prorrogado sucessivamente, tendo validade até 17 de agosto deste ano.

Segundo o Ministério Público, mensalmente, a Prefeitura paga à empresa R$ 24.180,56 por médico terceirizado. No entanto, o valor recebido diretamente pelo profissional é de R$ 13.876,45. Em função disso, a Justiça decidiu que a diferença de valores seja depositada em juízo até o término do contrato, fato que fez com que a Medical encerasse os trabalhos.

A Prefeitura fala em remanejamento para dispor médicos nos locais que eram atendidos pela Medical: CAIC, Cristal, Marcelino, Campina do Taquaral, Campo Largo da Roseira, Murici, Córrego Fundo, Faxina, Ipê e Xingú.

PautaSJP.com

Compartilhe esta notícia no Facebook: