Presidente Carlos Ghosn (Renault) veio a SJP lançar novos


Grupo, também controlador da Nissan, apresentou ontem (02) os modelos Kwid, Captur e Koleos. Marca quer ganhar, no segmento, de Ford e Volks.

Blog Single Carlos Ghosn destacou o investimento recente de R$ 1,5 bilhão na planta
Em 2013, a Renault em São José dos Pinhais divulgou ampliação dos investimentos com aplicação, até 2015, de R$ 1,5 bilhão. Os aportes começam a gerar adaptações importadas e veículos novos de modelos inspirados nos SUVs. Chegou o pequenino Kwid, o compacto Captur e o grandão Koleos.

Depois do início da fabricação da camionete Oroch, ano passado, a novidade são estes três carros de uma só vez. Ontem (02), o presidente mundial do grupo, também da marca Nissan, veio ao município propagar os lançamentos.

A intenção é atingir 380.000 unidades por ano no Brasil, saltando dos atuais 7,4% para 10% do market shate do mercado brasileiro, ultrapassando a Ford e incomodando também a Hyundai, que atualmente deixou não só Renault e Ford para trás, mas até mesmo a gigante Volkswagen.

Todos serão apresentados ao público no Salão de São Paulo, em novembro, e devem chegar às lojas entre o final deste ano e começo de 2017.O primeiro a ser lançado deve ser o Kwid.


Paraná lidera setor automotivo
Também ontem, o governo do Paraná comunicou que o trabalhador das fábricas de veículos automotores no Paraná tem uma produtividade maior do que os empregados de linhas de produção do setor nos demais Estados. O valor gerado por um empregado paranaense no setor por ano – de R$ 305,2 mil é quase o dobro da média brasileira, de R$ 164,5 mil.

A conclusão é de um levantamento do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), que levou em conta a proporção entre valor bruto da transformação das empresas e o número de empregados do setor em cada Estado. O setor emprega 44,7 mil pessoas no Paraná. O Paraná ficou à frente da Bahia, com R$ 239,7 mil, Goiás (R$ 226,4 mil), Rio de Janeiro (R$ 223 mil) e São Paulo (R$ 158,4 mil).

A alta produtividade por empregado no Paraná tem ajudado a atrair mais investimentos produtivos para o Estado. Desde 2011, somente as montadoras de automóveis e caminhões já investiram R$ 4,2 bilhões em novas fábricas e linhas de produção no Paraná.

Em produção, o Paraná é o terceiro maior polo automotivo do País, atrás de São Paulo e Minas Gerais. A indústria automotiva é a segunda mais importante do Paraná, atrás apenas da de alimentos.

O levantamento do Ipardes considera a produção de automóveis, caminhões, carrocerias e baús frigoríficos e inclui tanto empresas multinacionais, como Renault, Volkswagen, Audi, Volvo e Paccar, quanto de capital local, como Mascarello, de Cascavel, e Furgão Ibiporã, do município de mesmo nome. A pesquisa foi elaborada com os números da Pesquisa Industrial Anual (PIA) do IBGE de 2014, divulgada em junho deste ano.

A qualificação da mão de obra beneficia não apenas as empresas, mas tem reflexo também em salários maiores para os trabalhadores do setor. No ranking nacional, o Paraná tem o segundo maior salário médio da indústria automotiva, com R$ 5.168, atrás de São Paulo, com 5.390. A média nacional é de R$ 4.512.

PautaSJP.com

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: