Convênio une GMs metropolitanas, incluindo SJP, com CTBA

Blog Single
A violência e casos de furtos e roubos não tem fronteiras. Para diminuir a falta de atendimento à população da Região Metropolitana e a Capital, prefeituras de nove cidades, incluindo São José dos Pinhais, assinaram termo de cooperação para troca de informações e demandas de reestruturação. A medida vem de encontro a uma queixa antiga da população, de que não adianta avisar a um órgão de Segurança de um município se um crime ocorreu em outro.

Foi o caso de uma ciclista de São José dos Pinhais, ano passado, que teve a bicicleta roubada no Parque da Imigração Japonesa, que fica em Curitiba e, ao atravessar a Avenida Comendador Franco, relatou o ocorrido para agentes são-joseenses, que a informaram que ela deveria comunicar os agentes da Capital.

O consórcio foi assinado nesta semana por prefeitos de Curitiba, Campo Largo, São José dos Pinhais, Araucária, Mandirituba, Fazenda Rio Grande, Colombo, Quatro Barras, Campina Grande do Sul e Pinhais. A Capital possui 1350 guardas municipais que, somado ao efetivo metropolitano, chega-se a 2 mil guardas, número também a ser mensurado como pedido de recursos federais.

Para o secretário da Defesa Social e Trânsito de Curitiba, Algacir Mikalovski, as guardas com maiores potencialidades podem colaborar com as que têm uma estrutura menor para desenvolver o serviço. “A Academia da Guarda Municipal de Curitiba poderá ser usada para treinar oficiais de corporações das guardas vizinhas”, projeta Algacir Mikalovski.

“São José dos Pinhais faz divisa com oito municípios e é cortado por três rodovias federais, com uma grande população flutuante ao longo do dia. Somar esforços com outros municípios, que também desenvolvem políticas municipais de segurança, significa realizar ações práticas em busca da redução da criminalidade”, diz Toninho Fenelon, prefeito são-joseense.

PautaSJP.com

Compartilhe esta notícia no Facebook: