Como a política em SJP ajudou na eleição de Rodrigo Loures 24-May-17

Envolvido no escândalo presidente Temer – JBS, e filho do ex-candidato a prefeito, na votação a deputado federal, de 2014, Rodriguinho recebeu o dobro de votos na cidade são-joseense, em relação a Curitiba.

Ao microfone, Loures filho, em 2012, na campanha municipal de Loures pai

Sem espaço na Prefeitura de Curitiba nas gestões da Capital (2005 a 2010), com o atual governador, e ex-prefeito Beto Richa, a Família Rocha Loures, proprietária de uma grande indústria em São José dos Pinhais, passou a investir na carreira política de Rodrigo Rocha Loures, eleito deputado federal em 2006. Para o Congresso Nacional, nas eleições de 2014, Rodriguinho somou mais que o dobro de votos em São José dos Pinhais comparado com Curitiba. SJP 13.987 votos e CTBA 5.822 votos.

Passadas duas décadas, assim como Richa, Loures está envolvido em denúncias de relações ilegais no favorecimento político em prol da JBS. O flagrante recebendo uma mala com 500 mil reais de propina do frigorífico jogou fogo nos pedidos de impeachment contra o presidente Michel Temer, também do PMDB. Quando Rodrigo foi reeleito deputado federal, a mudança do foco para São José dos Pinhais, no ano de 2006, se comprovou uma estratégia vitoriosa que ampliou, inclusive, a influência do pai, Rodrigo Costa Rocha Loures, o segundo mais votado a prefeito de São José em 2012.

Os Loures se tornaram parte da terceira força política são-joseense, trazendo o PMDB de novo para dentro da Prefeitura, após decisão do Rodrigo pai não sair candidato ano passado. A desistência gerou a cadeira partidária na pasta da Educação.

Na matéria uma lembrança curiosa de como o meio político muda rápido. No dia 20 de junho de 2008, em um grande restaurante, quando o PMDB ainda estava embarcado como oposição à Prefeitura de São José dos Pinhais, Rodrigo Rocha Loures participou do lançamento da campanha do candidato do PTB, Ivan Rodrigues, vitorioso a prefeito semanas depois. No restaurante Rodriguinho chegou a enaltecer todo o envolvimento oposicionista e, apenas nove dias depois, pouco mais de uma semana, fez um discurso muito parecido na Câmara, mas enaltecendo o candidato do PSDB, o prefeito Leopoldo Meyer, quando o governador Requião decidiu que o PMDB seria situação.

Sobre a acusação de recebimento de proprina da JBS, a assessoria do político tem divulgado que no momento oportuno a denúncia será esclarecida.

PautaSJP.com