No Dia do Meio Ambiente (05), a Eco Guaricana mostra a Usina Hidrelétrica da Guaricana. Inaugurada em 1957, antiga Unidade Força e Luz, atual Copel, está ativa e em pleno funcionamento. 05-Jun-17



Visitantes deste passeio inusitado com o servidor da Copel, Luis Frederich

A produção de energia a partir dos rios é considerada o melhor retorno de investimento, pois a massa de água que gira as turbinas volta à Natureza. Em São José dos Pinhais, existem em operação duas unidades da Copel, a Usina da Chaminé, a primeira do Estado (1930), e a Usina da Guaricana (1957), inaugurada pelo presidente Juscelino Kubitschek. A antiga Força e Luz da Guaricana se utiliza dos rios Arraial e Prata e foi uma das primeiras do País na construção de barragem, em um trabalho de engenharia que pode abastecer sozinho uma cidade de pequeno porte. A Eco Guaricana, como parte das comemorações ao Dia Mundial do Meio Ambiente (05), visitou a Hidrelétrica da Guaricana, localizada em Área de Proteção Ambiental.

Depois de um deslocamento pela BR 376 e a Estrada Velha da Guaricana, a partir do portão da usina, há um declive de cerca de 700 metros por um trajeto muito parecido com a Estrada da Graciosa. Os geradores de energia ficam atrás de grandes tubulações cravadas em rocha para aumentar o magnetismo e a vazão de água.

“Ainda temos algumas casas de uma época em que muitos funcionários e famílias viviam na usina. Após um processo de informatização, todo o controle passou a ser feito em Curitiba, porém, o monitoramento e a manutenção são importantíssimos para garantir o sistema integrado em rede”, conta o servidor da Copel, Luis Frederich.

O colega de Luis, Paulo Cardoso, cresceu dentro da Usina da Chaminé. “Meu avô foi funcionário na Chaminé, depois meu pai, e eu sou a terceira geração. São lugares belíssimos e nos sentimos privilegiados de trabalhar nestas unidades”, diz Paulo Cardoso.

Entre os visitantes, o arquiteto Ricardo Mesquita, um dos integrantes da Associação dos Protetores de Áreas Verdes de Curitiba e Região (Apave). “Assim como a Chaminé, que conhecemos ano passado, a Usina Guaricana é incrível. Foram décadas de funcionamento que com certeza contribuíram com novos projetos e obras gigantescas como a Usina de Itaipu”, referencia Ricardo Mesquita.

José Bruno Brigido é proprietário de uma chácara no bairro Del Rey e pensa em se especializar no setor ambiental. “O caminho até a hidrelétrica é muito bacana”, resume Bruno Brigido. “Adorei o passeio, principalmente entrar nas rochas e ver de perto a condução de água pelos dutos”, comenta um dos guias da Eco Guaricana, o ex-militar Lincoln Ferreira.


História
Em 1952, foram iniciados os estudos para a construção da Usina de Guaricana. Em 25 de setembro de 1953, a Cia. Força e Luz obteve a concessão do Governo Federal para começar as obras que, depois de concluídas, permitiriam desafogar o suprimento de energia elétrica para a capital. Numa primeira etapa, em 1957, gerava com duas máquinas 7.500 kW cada uma. Em 1961, passou a mais 22.500 kW e, numa terceira etapa, em 1971, atingiu 39.000 kW. Hoje, são quatro unidades geradoras. O reservatório de volume útil, que recebe água dos rios Prata e Arraial, é de 5 milhões de m³. A barragem de concreto tem altura de 29,5 metros e comprimento de 95 metros.

PautaSJP.com e informações da Copel