Em apenas 23 anos, SJP poderá ter 469 mil habitantes

Blog Single
O crescimento urbano da região metropolitana de Curitiba será principalmente nas áreas sul e sudoeste da Capital, ou seja, nas localidades que compreendem as cidades de Fazenda Rio Grande e São José dos Pinhais. No caso da população são-joseense, a estimativa mais recente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes) é que, em 23 anos, o número de habitantes crescerá mais de 50%, saltando dos atuais 300 mil moradores para cerca de 469 mil moradores.

Considerando a população flutuante, como curitibanos que trabalham em São José, o volume de pessoas no município deve ser ampliado além dos 500 mil. As projeções do Ipardes levam em conta componentes demográficos como o estoque de população, nascimentos, óbitos e os saldos migratórios.


Outros dados de aumento
Entre as grandes cidades, Curitiba alcançará 1,95 milhão de habitantes em 2040, seguida por Londrina (628.600), Maringá (552.686), Ponta Grossa (386.947) e Cascavel (377.664). O estudo estima um aumento da participação da mesorregião de Curitiba, que em 2010 representava 33,5% do total da população no Estado, e em 2040 deverá representar 36,6%. Já a mesorregião do Norte Central Paranaense deve passar, na mesma base de comparação, de uma participação de 19,5% para 20,6%.

O Paraná passará dos atuais 11,243 milhões habitantes para 12,208 milhões de habitantes até 2040. A população deve atingir a marca de 12 milhões de pessoas ao final da próxima década e ficar praticamente estável nos 10 anos seguintes.


Mais idosos
Projeções apontam para o aumento da população idosa e diminuição de jovens. A população de 0 a 14 anos deve passar de 20,8% em 2017 para 14,6% do total do Estado. A população idosa, por sua vez (65 anos e mais) passa de 9,2% para 19,9% no período.

Essa tendência, explica o diretor de pesquisas do Ipardes, Daniel Nojima, é verificada em todo Brasil e está associada ao declínio da natalidade e à ampliação da expectativa de vida. Pela projeção, nas pequenas cidades, a média da proporção de idosos com relação à população total passa de 11,3% em 2017 para 24,2% em 2040. Em Curitiba, de 9,6% para 21,3% no mesmo período.

“A capital já é uma cidade madura, passou por vários ciclos demográficos, que apresenta queda de natalidade e maior expectativa de vida”, diz Daniel Nojima.

PautaSJP.com e informações Ipardes

Compartilhe esta notícia no Facebook: