Encontro do Grupo Guaricana mostra potencialidades do Parque Nacional Guaricana


Explanações, como palestra do ICMBio, apresentaram importância da preservação em SJP e Eco Turismo na Região

Blog Single A palestra sobre a unidade federal de conservação foi com o agente ambiental, doutor em Meio Ambiente, Luiz Faraco
Com o interesse em conservar a Natureza e gerar negócios sustentáveis, aconteceu, recentemente, na sede da Subseção São José dos Pinhais da OAB-PR, o segundo encontro do ano do Grupo Guaricana. São proprietários de áreas verdes na região da Serra da Guaricana com o Litoral que prezam a manutenção da fauna e flora, incluindo atividades ecológicas. O grupo foi criado em abril e já reúne mais de dez donos de pequenas chácaras e extensas localidades com milhares de hectares, sendo, algumas, vizinhas da parte são-joseense do Parque Nacional do Guaricana, que soma 49.286 hectares, também nas cidades de Morrestes e Guaratuba.

O jornalista Marcos Rosa Filho, da Eco Guaricana (marca que atendeu mais de 2 mil pessoas em vivências em chácaras), abriu a palestra sobre Eco Turismo agradecendo a presença de empresários, ambientalistas, advogados da OAB/PR-SJP, e representantes de órgãos públicos como Sanepar e Prefeitura.

“Trata-se do segundo encontro do Grupo Guaricana. A potencialidade de reunir tantos empreendedores ambientais representa o futuro de um município muito importante para a Ecologia, com o viés econômico de retorno financeiro e garantia da diminuição de uma ocupação irregular que coloca em risco os mananciais. O Grupo Guaricana começa com mais de dez integrantes que somam mais de 2 mil hectares, o que corresponde a 2% das terras são-joseenses e o compromisso de preservação”, destacou Marcos Rosa Filho.

O professor de Direito Ambiental, Alessandro Panasolo, é autor do livro feito em conjunto com Edson Peters e Melina Nunes intitulado “Áreas Verdes Urbanas - À Luz da Nova Legislação Florestal (editora Ambiente Juris). O advogado, mestre e doutorando em Meio Ambiente mostrou os resultados alcançados pela Associação dos Protetores de Áreas Verdes de Curitiba e Região (Apave).

“Uma década de projetos e propostas para valorizar os bosques e chácaras privadas que compõem os corredores biológicos com as áreas públicas. Em todos estes anos, defendemos, perante as Prefeituras e o Estado que, sem o apoio aos donos de locais particulares, a conservação dos locais públicos é incompleta. Se ainda existe preservação nas cidades, é porque os proprietários colocaram a conservação na frente do interesse imobiliário. Quem ganha é a população”, comentou Alessandro Panasolo.

Na explanação a respeito do Parque Nacional Guaricana, o doutor em Meio Ambiente e agente ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Luiz Faraco, descreveu o trabalho de quatro anos desde a formalização do parque, em 2014.

“São 49 mil hectares e ainda temos muito o que fazer no plano de manejo, para garantir uma visitação controlada nos trechos de impacto consolidado e de maior fragilidade. Os estudos levam em conta atividades como Eco Turismo, até porque a divisa entre São José dos Pinhais e Guaratuba, e São José dos Pinhais e Morrestes, possui extensa diversidade de fauna e flora, comparado com o Litoral. São José tem planícies, regiões de planaltos, de florestas com araucárias, menor concentração de escarpas e enorme umidade”, explicou Luiz Faraco.

A presidente da Comissão de Meio Ambiente da OAB/PR-SJP, a advogada Patrícia Précoma, considerou o encontro uma excelente oportunidade. “Diversos esclarecimento e conhecimentos. Pode-se perceber a carência de dados para a população quanto ao tema e da necessidade de disseminação urgente dessas informações. O Parque Nacional Guaricana é um potencial enorme de preservação da biodiversidade e desenvolvimento econômico de São José dos Pinhais por meio do Ecoturismo.”

“Realizamos muitas ações voltadas para a Educação Ambiental apresentando as vantagens da Agroecologia como os meliponários e as abelhas polinizadoras. Considero muito bacana o surgimento de grupos preocupados com o Meio Ambiente”, elogiou Helison Herz Girardello (Jatobá), que faz parte da Rede Ecovida.

Para a presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente (CMMA), a advogada Ana Trelha, o desenvolvimento sustentável é responsabilidade de todos. "A criação do Parque Nacional do Guaricana representa um marco inicial de reconhecimento da importância da preservação das nossas reservas naturais, da biodiversidade local, assim como revela um enorme potencial de ampliação das economias locais sustentáveis. A iniciativa do Grupo Eco Guaricana vem de encontro com o que estamos trabalhando no CMMA, pois acreditamos que, pela troca de experiências e conhecimentos na área ambiental, teremos melhores condições para alcançar a excelência ambiental.”

Outros encontros serão agendados pelo Grupo Guaricana no segundo semestre. Entre os participantes do café solidário e palestra do dia 09 de agosto, estavam integrantes da Prefeitura (Sictur), ICMBio, Apave, Câmara municipal, Comissão de Assuntos do Meio Ambiente da OAB-PR/SJP, Sanepar, Conselho Municipal de Meio Ambiente, EcoVida e Instituto Atmosfera2.

Contato Eco Guaricana – Marcos Rosa Filho e Luci Ane Moro (41) 3058-4192 e 99641-9674 (luci.ane@ecoguaricana.com.br). Facebook Eco Guaricana e www.ecoguaricana.com.br. Instagram Eco Guaricana.

PautaSJP.com

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: