Compra de pinhão só em 1º de abril


Semente dá origem ao nome de São José dos Pinhais

Blog Single
Do centro de São José dos Pinhais até localidades rurais como Roça Velha e Malhada, os pinheiros de araucária são as árvores que mais se sobrepõem às demais espécies de vegetação. Aves raras como a gralha azul ampliam a propagação do pinhão e a renovação das florestas. O respeito ao ciclo conserva a Natureza e garante o abastecimento da semente que é empregada como alimento cozido e assado. Segundo o Instituto Ambiental do Paraná, a colheita e a venda, em 2019, só podem acontecer a partir de 1º de abril, na próxima segunda. O transporte e o armazenamento do pinhão também são proibidos até a mesma data.

Geralmente, o pinhão acaba ao término do inverno. O objetivo da regulamentação é garantir o consumo sustentável na reprodução da araucária, árvore ameaçada de extinção e símbolo do Paraná. Quem for flagrando colhendo ou vendendo pinhão antes de 1º de abril pode responder a processos administrativo e criminal. Há ainda a multa de R$ 300,00 para cada 60 quilos de pinhão.

O IAP ainda proíbe, independentemente da data, a comercialização das pinhas verdes, quando o pinhão apresenta a cor esbranquiçada e alto teor de umidade. Nesse estado as pinhas podem conter fungos e ser prejudicial à saúde.

Queixas sobre a venda irregular de pinhão e demais infrações ambientais podem ser feitas no site do IAP (www.iap.pr.gov.br), diretamente nos Escritórios Regionais do órgão ou na Polícia Ambiental.

PautaSJP.com e informações do IAP

Compartilhe esta notícia no Facebook: