Ciclovida organizou passeio de mais de 150 bikers a Morretes e Antonina


Descida da Serra da Graciosa, sábado (20), no Programa de Extensão da UFPR, fez parte do Festival de Inverno 2019 e divulgação de projeto de ciclovia entre as cidades

Blog Single Dezenas de ciclistas de vários grupos prestigiaram o evento
O Programa Ciclovida é uma ação de extensão da Universidade Federal do Paraná (UFPR) que reúne técnicos, professores, alunos para realização de estudos e ações de divulgação da mobilidade sustentável, promovendo a articulação com diferentes entidades e com o Poder Público em prol de uma mobilidade mais humana saudável e sustentável. O programa destaca a bicicleta como meio de transporte, pratica esportiva ou de lazer. Durante o ano, as ações promovidas, como as pesquisas, seminários e publicações, propagam a importância da necessidade da valorização dos meios ativos e sustentáveis de transporte. Uma das ações mais tradicionais, que ocorre há mais de dez anos, é o Cicloturismo Curitiba x Antonina. Sábado (20), mais de 150 ciclistas pedalaram com o Ciclovida no trajeto, incluindo uma pequena parada em Morretes.

A saída aconteceu às 6h30 na sede da Associação dos Servidores da UFPR (Asufepar), ao lado do Centro Politécnico. O deslocamento, cheio de pausas para fotos na descida da Serra da Graciosa, teve encontro com bikers de Morretes que seguiram com o grupo até Antonina.

O roteiro entre as duas cidades litorâneas serviu como manifestação de apoio à necessidade de uma ciclovia ou ciclo faixa nos cerca de 20 km que ligam os municípios. “A promoção do Cicloturismo com a Capital chama a atenção para o potencial de uma ciclorota entre a região metropolitana e Curitiba, Morretes e Antonina, que favoreceria também os moradores do Litoral”, disse Davi Couto, sociólogo e representante do Ciclovida em Antonina.


29º Festival de Inverno da UFPR em Antonina
Antes do retorno nos ônibus da UFPR, os participantes puderam curtir o Festival de Inverno de Antonina, na praça central, para almoçar e ver os atrativos da feira também de tarde. “O meu marido sempre me falava que era lindo descer a Serra da Graciosa de bicicleta e fiquei muito feliz”, falou Denise Aliot, acompanhada de Waldir Aliot, que vieram de União da Vitória, na sexta (19), especialmente para o encontro de sábado.

Um dos moradores mais curiosos com a pedalada era o aposentado Enéas Galvão do Rio Apa, de 98 anos, que fabricava bikes nos anos 70. “Eu tinha uma tornoaria e projetava e construía peças de reposição para navios que aportavam. Em outro espaço, começamos a fabricar as bicicletas, sendo uma das únicas indústrias de bicicletas do Paraná, na época. É uma satisfação ver tanta gente pedalando na nossa cidade”, lembrou e elogiou Enéas Galvão.

Boa parte, entre diferentes turmas de ciclistas, era do Pedal Cajuru. “Ainda tivemos a ala feminina com as Penélopes. Foi uma ótima manhã e tarde cheia de amizades, cultura e lazer”, comentou Roberto Moreira.

José Carlos Assunção Belotto, coordenador do Ciclovida, enfatizou a colaboração da Universidade e parceiros. “Foi o passeio a partir de Curitiba em direção ao Litoral com o maior número de participantes. As pessoas curtiram o dia em boa companhia e lindas paisagens, além de contribuir com a ideia de um projeto de ciclomobilidade para integrar os municípios litorâneos. Estamos muito contentes com o apoio das entidades e marcas envolvidas”, agradeceu José Belotto.

Organização: Ciclo Vida (http://www.ciclovida.ufpr.br/)
Apoio: UFPR; Asufepar; Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec) da UFPR; Coolab; Ciclo Iguaçu; Pedal Cajuru; Bike Sul; Bike Portela; Federação Paranaense de Ciclismo e Restaurante Tartaruga.

Mais fotos no Facebook (perfil) da Eco Guaricana de 21 de julho

PautaSJP.com

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: