Dia 22, acontece o 1º Workshop de Meliponicultura da Bacia do Rio Miringuava


Encontro da Associação dos Produtores Orgânicos e dos Meliponicultores de São José dos Pinhais destaca importância da polinização como proteção da Natureza e empreendedorismo

Blog Single As abelhas sem ferrão são mais leves e polinizam cerca de 30% a mais
O ciclo das estações climáticas com o aparecimento das flores e depois os frutos e sementes está diretamente ligado às abelhas, além da polinização de milhares de espécies de plantas. No caso das abelhas sem ferrão, as melíponas, são as abelhas nativas do Brasil. As abelhas com ferrão são as chamadas africanas. O desenvolvimento da técnica de criação de abelhas, como a mandaçaia, é um dos temas do 1º Workshop de Meliponicultura, da Associação dos Produtores Orgânicos e dos Meliponicultores de São José dos Pinhais, dia 22 de setembro, manhã e tarde no Rancho Caminho das Águas (Rua São Josemaria Escrivá, 3458 – bairro Avencal).

A programação compreende ainda feira e apresentação de estudos sobre a contribuição da Meliponicultura para a conservação da Natureza do Rio Miringuava, localidade formada por vários sítios e chácaras que farão parte da Bacia do Miringuava, represa de captação de água da Sanepar a ser inundada em 2022.

O projeto de ampliação do abastecimento de água no Miringuava prevê a relocação das colmeias nativas das áreas que serão atingidas pela represa por meio de termo de cooperação entre a Sanepar e a Apromel.

Segundo a organização do evento, entre os objetivos do encontro, promover a Meliponicultura e divulgar para a comunidade, a importância das Abelhas Nativas Sem Ferrão para a polinização, preservação da Natureza e produção de mel, alimento especial para as pessoas, incentivar a preservação das Abelhas Nativas Sem Ferrão, bem como, o manejo adequado das colmeias; incentivar estudos, pesquisas, trabalhos científicos por parte das Universidades (mestrado e doutorado, nos cursos de Biologia, Zootecnia, Engenharia Florestal, de Meio Ambiente, etc), empresas, governos e entidades da sociedade civil, e aprofundar e disseminar os conhecimentos sobre as Abelhas Nativas Sem Ferrão; contribuir para o restabelecimento e preservação da população das Abelhas Nativas Sem Ferrão na Bacia do Rio Miringuava, sobretudo em Área de Proteção Ambiental-APA, Área de Preservação Permanente-APP, Corredores e Parques Biológicos do Miringuava, diminuindo o desaparecimento das espécies; constituir o workshop como um evento anual de diálogo, análises, oficina para estudos e acompanhamento do trabalho de expansão da meliponicultura e, por meio desta, a geração de renda complementar ao agricultor local, também fomentando o turismo nas comunidades da Bacia do Rio Miringuava.

Participação
Inscrições até o dia 17/09/19. Valor R$ 40,00 com direito ao almoço. Pagamento direto para o Rancho Caminho das Águas, por meio do Banco do Brasil. Agência 0982-2. Conta Corrente 83.210-3. CNPJ 26.706.803 /0001-50 e nome de Filomena Ostroski Leschnhak ME. Enviar cópia do comprovante para a Apromel-SJP no whatsapp - 41 99740-3788

Programação
Período da Manhã:
I - Abertura: 09h00 às 09h25
II - Palestra Magna: 09h30 às 10h30
Tema - Panorama Atual das Abelhas Nativas Sem Ferrão no Estado do Paraná. Importância das Abelhas. Agrotóxicos e Mortandade das Abelhas. Diagnóstico e Desafios. Palestrante: Harold Brand - professor, biólogo, geneticista, meliponicultor, Referência em Pesquisa sobre as Abelhas Nativas Sem Ferrão no Brasil.
III - Primeiro Painel:
Experiências e Pesquisas (10h45 às 12h00).
Tema 1 - Jardins de Mel de Curitiba (10h45 às 11h05). Palestrante: Solange Regina Malkowski - bióloga, com mestrado em Entomologia, Curadora da Coleção Entomológico do Museu de História Natural de Curitiba, meliponicultura, associada da Apromel-SJP.
Tema 2 - Evolução do Conhecimento Sobre as Abelhas Nativas Sem Ferrão (11h10 às 11h30). Espécies, Comportamento, Anatomia, Cadeia Alimentar, Conforto Térmico e Comércio de Matrizes. Palestrante: Hélio Massao Isobe - biólogo, meliponicultor, associado da Amamel.
Tema 3 - A Importância da Polinização pelas Abelhas (11h35 às 11h55). Palestrante: Katia Regina Ostrovski - Zootecnista pela UEPG, com mestrado em Zootecnia : produçao animal (apicultura) pela UEM, e doutorado em Zootecnia: produçao animal e impacto ambiental (meliponicultura) pela UFPR, professora e meliponicultora.
IV - Intervalo (12h00 às 13h30). Almoço
Exposições - Trabalhos - Feiras - Passeios.
Período da tarde:
V - Segundo Painel. Resgate e Preservação da População das Abelhas Nativas Sem Ferrão e Expansão da Meliponicultura na Bacia do Rio Miringuava (13h30 às 14h15).
Tema 1 - termo de cooperação entre Sanepar e Apromel-SJP para Resgate de Colméias na área a ser alagada pela Represa do Rio Miringuava (13h30 às 13h50). Palestrante: Adriana Trigo - bióloga, Gestora Socioambiental da Sanepar.
Tema 2 - incentivo à expansão da Meliponicultura e Agroecologia no Miringuava (13h55 às 14h15). Breve depoimento de Avelino Bastos (nascido na região), sobre observação da população local das abelhinhas na década de 1950 e atualmente. Palestrante: Adiel Araujo, produtor orgânico e meliponicultor, associado da Apromel-SJP.
VI - Terceiro Painel. Profissionalização (14h25 às 15h35).
Tema 1- manejo abelhas nativas sem ferrão (14h25 às 14h45).
Manejo de Colméias, Caixas Racionais, Medidas, Padrões, Divisão e Transferências de Colméias, Alimentação. Palestrante: Sebastião Rodrigues, meliponicultor, Coordenador de Meliponicultura e vice-presidente da Apromel-SJP.
Tema 2 - Papel da Câmara Técnica de Meliponicultura do Estado do PR (14h50 às 15h10). Regulamentação Técnica da Atividade -Cadastro dos Meliponicultores, Capacitação, Fiscalização, Fomento da Atividade, Sanidade Animal, Manejo, Transporte, Produção, Comercialização, Controle e Rastreabilidade da Qualidade do Mel. Palestrante: Marcos Gonçalves - Engenheiro Agrônomo, Coordenador da Câmara Técnica de Meliponicultura do Estado do PR.
Tema 3 - Origem e Sabores, Classificação e Qualidade do Mel (15h15 às 15h35). Palestrante: Cláudia Bório, ambientalista, advogada, integrante da Comissão de Meio Ambiente da OAB-PR e do Grupo de Estudos de Meliponas e Apis Melliferas, do curso de Zootecnia da UFPR, estudante de biologia, meliponicultura, associada da Apromel-SJP.
VII - Quarto Painel. Organização dos Meliponicultores e Agregação de Valor aos Produtos (15h45 às 16h50).
Tema 1 - Objetivos e Metas da Associação (15h45 16h05). Palestrante: Helison Girardello (Jatobá) - Presidente da Apromel-SJP. Palestra de Encerramento: (16h10 às 16h50).
Tema 2 - Trabalho de Identificação e Resgate de Colméias Realizado na Área da Barragem do Miringuava, pela Amamel.
Tema 3 - Evolução do Manejo das Abelhas Nativas Sem Ferrão, Casa do Mel, Cooperativa, Processamento de Produtos da Meliponicultura Avançada e Geração de Renda Sustentável na Meliponicultura. Palestrante: Benedito Uczai, professor, agricultor, meliponicultor, associado da Amamel (Mandirituba), Referência em Manejo das Abelhas Nativas Sem Ferrão no Brasil.
VIII - Plenária (17h00 às 17h30).
Fala dos participantes com sugestões e encaminhamentos tendo em vista Plano de Ação de Melhorias.
Exposições - Trabalhos - Feiras - Passeios
Durante o dia todo: 8h30 às 18h00. Exposição de fotografias ampliadas das Abelhas Nativas Sem Ferrão. Demonstração de Equipamentos para conforto térmico das colmeias. Demonstrações de colméias de espécies de Abelhas Nativas Sem Ferrão, em caixas pedagógicas com Célia Dresch.
Estande de venda de mel, chás, granolas, velas de cera de abelha, sabonetes e outros produtos da agricultura familiar com Cláudia Bório.
Feirinha: barracas e tendas para venda de artesanatos, caixas racionais para colmeias, alimentos: mel, própolis, vinho de mel, hidromel, produtos orgânicos, sucos, doces e biscoitos com a Apromel-SJP e Amamel.
Caminhada e passeio campestre de trator (Rancho Caminho das Águas).

PautaSJP.com

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: