São-joseenses contra a paralisação por causa do corona prometem novas manifestações


Ontem (30), com uma semana do decreto municipal de isolamento social, SJP teve primeiro caso de pessoa infectada

Blog Single Grupo se reuniu a partir das redes sociais e pretende repetir a mobilização hoje (30)
[Atualizado 18h]

No dia 21 de março, o governador Ratinho Junior assinou o decreto n° 4.318/20 que endureceu as medidas de obrigação de isolamento social por causa da prevenção ao coronavírus. A medida foi seguida pelo prefeito de São José dos Pinhais, Toninho Fenelon, por meio do decreto n° 3.728/20. Desde o dia 23 de março, o comércio, que não seja gênero de primeira necessidade, como farmácias, deve ficar de portas fechadas. Indignados com a cessão do direito em caráter de Estado de Emergência, são-joseenses seguiram o movimento puxado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, em confronto aos pedidos de reclusão por quase todos os governadores, e saíram às ruas centrais na sexta (27) e sábado (28) para protestarem com carreata e buzinaço. Ontem (30), a Prefeitura soltou boletim que trata da primeira confirmação de pessoa infectada na cidade.

Leonardo da Silva Santos trabalha na área da construção civil. “Nós soubemos durante a semana que aconteceriam protestos em Maringá e decidimos protestar aqui em São José dos Pinhais. Foi um movimento espontâneo entre pessoas amigas, comerciantes que se conhecem e participantes que aderiram depois de receberem o convite nas redes sociais. Pode ser que uma parte consiga parar o trabalho, mas a maioria não aguentará mais uma semana”, diz Leonardo Santos, que, como seus colegas, depois do protesto na frente da Prefeitura, espera uma resposta do Executivo Municipal hoje (30).

Eral da Silva Junior tem loja de tabacaria e distribuidora de bebidas. “Somos a favor de proteger as pessoas com perfil de risco, como os idosos, nos protegermos com o que for possível para não ter contágio e liberar comércio e serviços, porque muitas empresas vão quebrar por não conseguirem mais dar suporte às famílias. E vamos fazer outros protestos”, projeta Eral Junior.

Bruna Andressa Silva é lojista e considera injusto outros segmentos, como indústria, funcionarem. “Os comerciantes representam a base da pirâmide econômica. Quem sabe, uma forma de regulamentação que as lojas, por exemplo, abram, mas comprometidas em atender dois clientes por vez, ter o álcool gel no balcão e outras formas de prevenção”, fala Bruna Silva.


Protestos são passíveis de prisão segundo MP-PR
Segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR), por meio do procurador-geral de Justiça, Ivonei Sfoggia, os promotores de todo o Estado seguirão na linha que população e Poder Público atendam as recomendações da Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde. “É o momento de trabalharmos tecnicamente, sob a orientação daqueles que são os mais preparados para lidar com o atual cenário, que são os profissionais de saúde”, diz Ivonei Sfoggia.

Em Maringá, o MP local instaurou procedimento relacionado à fiscalização de carreatas que pedem o fim do período de isolamento. A 14ª Promotoria de Justiça do Norte do Estado emitiu na sexta-feira (27) portaria no sentido de coibir qualquer espécie de carreata ou reunião. “As carreatas devem observar os atos normativos já editados pelas autoridades municipais e estaduais, visando à contenção da Covid-19. Embora não seja vedado o direito à manifestação, seu exercício não pode colocar em risco a saúde e a vida da população, desatendendo ao disposto nos decretos vigentes”, diz o ofício, que autoriza até a força policial para fazer valer a portaria.


Primeiro infectado em SJP
A Prefeitura de São José dos Pinhais publica todos os dias, de tarde, o Boletim do Coronavírus. Ontem (29), a grande novidade foi a confirmação do primeiro caso de infectado no município:
- 1 caso confirmado;
- 16 casos suspeitos;
- 62 casos descartados.

Os casos são compartilhados com a Secretaria da Saúde do Governo do Paraná. De acordo com a secretária de Saúde de São José dos Pinhais, Débora Chemim, além do primeiro caso de infectado, estão sendo monitorados 37 casos, com 17 casos suspeitos e 2 casos graves internados em São José aguardando resultado do Laboratório Central (Lacen). Outros 17 casos suspeitos apresentaram exame negativo.


A reportagem vai entrar em contato com a Prefeitura de São José dos Pinhais para saber se haverá alguma mudança no decreto municipal.

[Atualizado]
Segundo a Prefeitura de São José dos Pinhais, não há intenção de alteração quanto as restrições no Estado de Emergência, conforme o decreto estadual de 21 de março (n°4.318/20).

PautaSJP.com

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: