Terrazza Administradora de Condomínios chega a mais de 3 mil moradores atendidos


Terceirização do cargo de síndico favorece as relações entre os condôminos, fideliza e diminui os custos de mão de obra e aumenta valor dos apartamentos no mercado

Blog Single Os sócios Salvador Pires e Alexandre Côrtes com a equipe Terrazza em um dos prédios que a empresa administra
A Terrazza Administradora de Condomínios completou dez anos no segmento de administração de prédios. Ao longo da década, a empresa, em São José dos Pinhais, é gestora de uma centena de edifícios que possuem os serviços de controle financeiro e administrativo e serviços terceirizados. Seja em locais de 20 apartamentos ou conjuntos residenciais de várias torres, a terceirização do cargo de síndico é uma grande tendência no segmento imobiliário. A contratação de uma administradora favorece as decisões do que são as prioridades de investimentos entre os condôminos, gera a melhoria das relações pessoais, fideliza e diminui os custos de manutenção de mão de obra, o que aumenta o planejamento administrativo e a capacidade de reinvestimento, valorizando o preço dos apartamentos no mercado.

Criada pelos sócios Salvador Pires e Alexandre Côrtes em 2010, a Terrazza Condomínios soma mais de 3 mil moradores atendidos e muitos fornecedores responsáveis pelas áreas de limpeza, abastecimento de gás, reparos, jardinagem, entre outras atividades do dia a dia de um condomínio.

“É como uma empresa, onde se exige a formação de um CNPJ que facilita a aquisição de mão de obra e o rateio das despesas e investimentos, de maneira que a responsabilidade do síndico é muito grande, passível de ser questionada na Justiça quanto a parte financeira e nas questões pessoais de trato com os demais moradores, e o serviço é praticamente 24 horas, pois, mesmo que o síndico estabeleça um horário, é na porta dele que vão sempre bater”, avalia Salvador Pires, formado em contabilidade, há 13 anos no ramo imobiliário. Salvador já foi síndico onde residia antes de ser empresário.

De acordo com a advogada Patrícia Précoma Pellanda, a legislação do novo Código Civil (2002) trouxe a possibilidade de multas aos inquilinos e proprietários enquadrados como condôminos antissociais e descumpridores de regras. “Um síndico tem as suas atribuições particulares de trabalho e família e precisa conciliar a agenda quando se dedica à execução do planejamento administrativo e financeiro do prédio. Cuida da inadimplência, e o regramento, digamos, comportamental dos seus vizinhos, entre outras questões desafiantes. O serviço profissional ganhou mais espaço ainda pela questão da experiência das administradoras”, aponta a advogada Patrícia Pellanda, que exerceu o papel de síndica de prédio onde morava em anos anteriores.

Maria Aparecida dos Santos foi síndica por quatro anos no edifício Águas Belas I, bairro Iná. Com o nascimento do primeiro neto, ela sugeriu a terceirização. “Eu gostava, até mesmo com a correria, mas quando a família aumentou, e eu ainda fiquei um ano nesta transição, não tive mais tempo e a Terrazza passou a cuidar de tudo. Tive muito apoio dos moradores, mas tem gente que não entende. Uma vez, faltou luz na rua da frente, e ficavam ligando que a gente tinha que dar um jeito e era fora do prédio”, recorda Maria dos Santos.


Valorização de cerca de 100% no preço dos apartamentos
“Além da administração terceirizada ser a ponte entre os moradores, nestes 10 anos, tivemos muitos casos onde os ajustes na gestão dos condomínios diminuíram as despesas e a troca constante de diferentes prestadores de serviços dentro dos prédios. A regularidade traz segurança, e os fornecedores ajudam na antecipação dos problemas como de estrutura nos telhados e calhas. Ocorre a melhoria na fachada e imagem dos edifícios, reformas em garagens e jardins, construção de espaços infantis e demais áreas comuns, e o seguro predial garante que o condomínio tenha recursos quanto a danos emergenciais como ventanias e alagamentos”, explica Alexandre Côrtes, formado em Administração e que também foi síndico de prédio antes de abrir a Terrazza.

Sobre a valorização imobiliária e a administração terceirizada, Alexandre comenta que teve apartamento de dois quartos que passou a custar quase o dobro. “Em um conjunto, quando assumimos a administração, há alguns anos, o apartamento valia R$ 80.000 e depois a unidade no mesmo local foi comercializada por R$ 150.00, quase 100% de aumento de patrimônio.”


Parcerias fortes com fornecedores e construtoras em prol dos moradores
Maurício Lobo é proprietário da Duragás com dois pontos de vendas tipo varejo em São José dos Pinhais e no atacado com os chamados P45, botijões utilizados em prédios. Entre as vantagens na prestação de serviço especializada, o preço diferenciado e o conforto.

“Teve caso de síndico perguntar se daria para fazer um contrato exclusivo e a gente orientou a contratar a administração terceirizada para ter as propostas especiais e a facilidade de não precisar que morador fique esperando para abrir o portão. O caminhão sai com o nosso motorista e o representante da Terrazza em cada prédio e trocando o botijão que terminou e abrindo o reserva para garantir o abastecimento”, diz Maurício Lobo, que ressalta o crescimento da Terraza. “Lembro que fornecia um P45 por mês e hoje são 18 a 20 por dia.”

Rafael Rosa, da ATR Incorporadora, já construiu, desde 2013, oito prédios em São José dos Pinhais e um novo lançamento é previsto para 2020. “Atualmente, três edifícios são administrados pela Terrazza, com apoio até mesmo antes da ocupação das unidades, na formação da Ata de Convenção de Condomínio e grupo de fornecedores para que o novo morador tenha tranquilidade e opções assim que ocupar os apartamentos”, destaca Rafael Rosa.


Tecnologia no lugar das reuniões presenciais
A Terrazza Administradora de Condomínios vem implantando as reuniões em plataformas de encontros online por uma necessidade já reconhecida em lei devido ao coronavírus e que deve se tornar comum para depois do período da pandemia.

Segundo Salvador Pires, recentemente, a primeira reunião da história do Urban Seven, de 16 apartamentos em São José dos Pinhais, já aconteceu on-line e até mesmo a formação da Ata de Convenção de Condomínio dos moradores. “No mesmo encontro foi toda constituída virtualmente. A participação do proprietário não precisa nem ser dentro do edifício. Onde ele estiver, por celular, computador ou tablet, se tem acesso na internet pode fazer parte da reunião com a prestação de contas e aprovar as opções de investimentos”, fala Salvador Pires.

Informações
www.tzadm.com.br
Rua Paulino de Siqueira Côrtes, 1425 - Centro de São José dos Pinhais
https://www.instagram.com/terrazza_condominios/
https://www.facebook.com/www.tzadm.com.br (41) 3058 2526.

PautaSJP.com e informações Terrazza Administradora de Condomínios

Mais imagens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: