O lado b do caso das escutas telefônicas ilegais

Blog Single
Em uma das gravações da época da gestão municipal anterior, a funcionária do Demutran indicou um “picareta” para fazer o serviço de defesa de multa

Em dezembro de 2008 a gestão municipal anterior teve o pior escândalo dos quatro anos de governo, com a descoberta de escutas ilegais na Secretaria Municipal de Segurança, que gravavam funcionários da secretaria, e outros funcionários e cidadãos em geral, que recebiam ligações ou entravam em contato com a secretaria. Uma das gravações mostra uma funcionária do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) - setor responsável pela aplicação de multas -, indicando serviço de defesa de multa.
A ilegalidade e falta de caráter dos responsáveis em grampear os departamentos é tão prejudicial ao funcionamento do serviço público, quanto o uso indevido da estrutura governamental pelos servidores e funcionários comissionados.
No arquivo, uma mulher que ligou, chama a atendente pelo nome, e diz que vai pedir uma orientação que sabe ser errada. “Oi, eu to ligando para saber uma coisa meio errada. Eu queria que você me indicasse alguém que recorra a multas, um picareta por aí sabe (...) parece que é um cara do bairro Urano. Aqueles outros que eu te falei, parece que fugiram com o dinheiro da galera. E desse cara muita multa foi deferida?”. A funcionária respondeu: “De dez uma multa (...) pelo que eu saiba ele é bem ruim”, disse a funcionária, que passou o nome, telefone fixo e celular do responsável pelos recursos de multa.

Como se procedeu o caso das escutas ilegais
No dia 05 de dezembro o Conselho Comunitário de Segurança de São José dos Pinhais (Conseg), recebeu denúncia de um servidor da Prefeitura, cujo nome foi mantido em sigilo, sobre grampos ilegais nos telefones fixos usados pelos demais servidores e funcionários comissionados, nas dependências da Secretaria Municipal de Segurança, localizada na Rua Veríssimo Marques, centro da cidade.
As escutas atingiam o Departamento Municipal de Trânsito (Demutran), administrativo, Engenharia de Tráfego e Guarda Municipal. As acusações que tem como prova, um cd com várias horas de gravação, seguem sob investigação da Promotoria Criminal do Foro Regional da Comarca de São José dos Pinhais.
Dias depois o prefeito na época, Leopoldo Meyer, exonerou o secretário Municipal de Segurança, Ariovaldo Gouveia Sobrinho, o diretor de Trânsito, João Cavalim de Lima, e o chefe de Divisão de Comunicação e Monitoramento, Giles Amboni.

[PautaSJP.com]

Mais imgens desta notícia

Compartilhe esta notícia no Facebook: