Ganância e ética

Blog Single
Adelino Venturi*

O novo presidente dos Estados Unidos, Barack Hussein Obama, foi eleito por unanimidade planetária como o gênio capaz de salvar a lavoura de uma economia marcada por uma das maiores crises dos tempos modernos, a crise do mercado imobiliário dos Estados Unidos. Analistas criticam que essa crise foi gerada pelo pecado capital da ganância, sem o respeito mínimo à ética e às regras da economia moderna.

O presidente Obama não é um gênio com a capacidade de transformar a realidade crítica da noite para o dia. Ele é um novo líder, um político que não se enquadra no formato e no perfil dos políticos conservadores, sejam eles do seu país ou de outros países, inclusive o Brasil. Obama simboliza a esperança de um novo tempo, um tempo em que todos possam viver com dignidade, com respeito e admiração pelos valores éticos; que se perderam no tempo e no espaço de um mundo afrontado e corrompido exatamente pela ganância, pelos pecados capitais, de modo geral.

Se a crise foi gerada no seio do mercado imobiliário americano, ela tem a ver conosco, com todos que atuam nesse mercado.

No Brasil – e o espelho é o nosso mercado imobiliário local e regional- há muito pouco dos conteúdos famigerados que implodiram esse tipo de mercado nos States. Aqui ainda há dignidade e respeito; há uma consciência ética e uma visão de negócios marcados pelo equilíbrio, pelo bom senso, pela defesa dos legítimos interesses de agentes imobiliários e seus clientes.

De qualquer forma, também sofremos as conseqüências da crise, mas ainda estamos mantendo um bom nível de atividade mercadológica. Isso decorre exatamente da credibilidade, da confiança que nossos clientes depositam nas empresas imobiliárias e seus agentes. Esse é um valor conquistado com muito trabalho, com a vontade de vencer, mas com a consciência de que um bom negócio imobiliário é aquele que atende às necessidades e aos sonhos dos nossos clientes. Assim, não estamos sendo penalizados, porque não pactuamos com o pecado capital da ganância. Afinal, somos éticos, somos felizes.

*Adelino Venturi é professor, empresário e membro do Conselho Deliberativo da Associação Comercial, Industrial, Agrícola e de Prestação de Serviço (Aciap), de São José dos Pinhais

Compartilhe esta notícia no Facebook: